Polícia registra nove assaltos à mão armada no fim de semana

Uma onda de nove assaltos à mão armada aconteceu em Araxá, neste fim de semana, sendo dois na sexta-feira (5), seis no sábado (6) e um no domingo (7). Todos foram em estabelecimentos comerciais (farmácias, supermercados e depósitos) da região central, entre 12h e 20h.

 De acordo com o subcomandante do 37° Batalhão de Polícia Militar, major Ney Sávio de Oliveira, todos os assaltos registrados foram realizados em duplas com o uso de motocicletas, devido à sua fácil mobilidade durante a fuga, e o uso de revólver calibre 38. Ele acrescenta que três autores já reconhecidos pelas vítimas foram presos. “Eles têm entre 25 e 30 anos e estão detidos como medida preventiva”, afirma.

O major acredita que os crimes estejam relacionados ao financiamento do tráfico de drogas, lembrando da última onda de assaltos que aconteceu na cidade em janeiro do ano passado, quando 16 pessoas foram presas.

“Esses assaltantes podem ter certa ligação, mas não chega a ser uma situação de crime organizado, igual aconteceu da última vez. O cara precisa de dinheiro para comprar drogas, fazer a distribuição e acaba fazendo esses assaltos. Os nomes que já temos levantados estão relacionados com o tráfico de drogas”, afirma.

Com a prisão dos três autores, major Ney diz que a onda de assaltos deve diminuir através de trabalho preventivo. “A gente tira, praticamente, três duplas de assaltantes. De acordo com o nosso cálculo, cerca de cinco duplas efetuaram esses assaltos no fim de semana. Estamos trabalhando com a questão preventiva e vamos tirar de circulação motocicletas com características envolvidas nesse tipo de delito. Normalmente, elas estão com a documentação irregular. Esta semana a gente espera que esse tipo de delito não ocorra em Araxá.”

Em caso de assaltos, o subcomandante recomenda que a vítima nunca deve reagir, ficar atenta a qualquer característica duvidosa, como o uso de capacete dentro de um estabelecimento, por exemplo, nunca manter dinheiro em caixa, além de manter o local bem iluminado e contar com equipamentos de segurança. “Felizmente, ainda são crimes contra o patrimônio. Se as pessoas começarem a reagir, podem acontecer crimes contra a vida.”

Notícias relacionadas