PRF inaugura ciclo de palestras sobre exploração sexual infanto-juvenil

PRF inaugura ciclo de palestras sobre exploração sexual infanto-juvenil

O ciclo de palestras “Direitos Humanos e o Enfrentamento das Ofensas Sexuais” foi inaugurado na tarde desta quarta-feira (27), no 37° Batalhão de Polícia Militar (BPM), pela Comissão Regional de Direitos Humanos da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Minas Gerais.

Os encontros acontecem até sexta-feira (30) com palestras em escolas e entidades de segurança pública e da microrregião de Araxá. O ciclo apresenta como as políticas de enfrentamento à exploração sexual infanto-juvenil e ao trabalho infantil desenvolvidas pela PRF nas rodovias federais podem ser trabalhadas na comunidade, além da disseminação dos direitos humanos.

O presidente da comissão, inspetor Helênio Romualdo de Almeida, explica que os trabalhos pelo Estado foram inaugurados em dezembro de 2008. “A nossa comissão já passou pelo Vale do Mucuri, Vale do Jequitinhonha, Uberlândia e agora está em Araxá, onde estamos tendo uma recepção muito grande da comunidade”, destaca.

Ele aponta que as estatísticas de crimes contra a criança e o adolescente nas rodovias federais que cortam a região do Alto Paranaíba são baixas, mas em outras regiões em que a comissão já atuou são alarmantes.

Apesar disso, a realidade na Zona Urbana de Araxá é outra. De acordo com a coordenadora do Serviço Sentinela, psicóloga Maria das Graças Resende Vasconcelos, o número de ocorrências de exploração à criança e ao adolescente vem crescendo mais a cada ano que passa.

Em 2008, os crimes sexuais – abuso (21), exploração (8) e outros (30) – totalizaram 59 registros. Até agosto deste ano, este número já aumentou 44% (85 casos) – exploração (11), abuso (27) e outros (47).

A curadora da Infância e Juventude do Ministério Público Estadual em Araxá, promotora Mara Lúcia Silva Dourado, afirma que para identificar uma vítima de exploração sexual é importante a família perceber houve mudança no comportamento da criança ou do adolescente no dia-a-dia.

“Ficar fechado no quarto, ou não querer ir à escola, ficar chorando ou calado, ou até dificuldade em fazer determinados movimentos, tudo isso pode ser sequelas causadas pelo agressor”, diz a promotora.

“Mas, infelizmente, a maioria dos casos registrados no disque-denúncia vem dentro do âmbito familiar, violência pelos pais, tios, padrastos e outros”, acrescenta.

Em Minas

De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), de janeiro a setembro deste as denúncias de crimes envolvendo abuso e exploração de crianças e adolescentes cresceram 53% em relação ao mesmo período de 2008 – 691 denúncias contra 449.

O aumento das denúncias está relacionado a veiculação da Campanha Proteja Nossas Crianças, coordenada pela Sedese e pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas).

A ação incentiva a população a denunciar crimes por meio do Disque Direitos Humanos (0800-031-1119), serviço gratuito e sigiloso que atende todo o Estado de Minas Gerais.

Programação Ciclo de Palestras da PRF

Terça-feira (27)

Comunidade adulta: 37° Batalhão de Polícia Militar (14h) e Colégio Dom Bosco (19h).

Comunidade adolescente: Escola Municipal Professora Leonilda Montandon – Caic –  (15h30).

Quarta-feira (28)

Comunidade adulta: Uniaraxá (9h), Ministério Público (14h) e Escola Municipal Professora Leonilda Montandon – Caic – (19h30).

Comunidade adolescente: Escola Estadual Padre Anacleto Giraldi (8h) e Escola Estadual Armando Santos (14h).

Quinta-feira (29)

Comunidade adulta: Escola Estadual Professor Luiz Antônio Corrêa de Oliveira – Polivalente – (8h), Associação dos Municípios da Microrregião do Planalto de Araxá – Ampla – (14h) e Escola Estadual Vasco Santos (19h30).

Comunidade adolescente: Escola Municipal Professora Auxiliadora Paiva (8h) e Associação Atlética Banco do Brasil – AABB – (14h).

Sexta-feira (30)

Comunidade adulta: Praça Coronel José Adolpho – avenida Antônio Carlos (9h).

Comunidade adolescente: Escola Municipal Aziz J. Chaer (8h).

Notícias relacionadas