Primeira-dama conhece e constata a necessidade de mudanças na estrutura do PCA

Primeira-dama conhece e constata a necessidade de mudanças na estrutura do PCA

A primeira-dama Elba Barbosa Moreira conheceu, nesta quarta-feira (21), toda a estrutura do Programa da Criança e do Adolescente (PCA), que ela deverá dedicar atenção especial, juntamente com a esposa do vice-prefeito Miguel Alves Ferreira Júnior, Sandra Cardoso Alves.

As duas foram acompanhadas por Miguel Júnior e da chefe do PCA,  Nilza Contato Balieiro, e percorreram seis subprogramas: Projeto de Formação e Encaminhamento para o Trabalho (Profet), Sentinela, Casa do Pequeno Jardineiro, Centro de Reeducação do Adolescente (Cerad), Casa de Abrigamento para Adolescentes e Casa Lar.

Sandra e Elba receberam informações sobre o funcionamento de todos os locais onde estiveram. No Profet, jovens recebem orientações diversas, obtendo formação profissional e inclusão no mercado de trabalho. Elas constataram que algumas melhorias podem ser implantadas, objetivando ampliar o atendimento do programa.

O Programa Sentinela, que cuida de crianças vítimas de violência sexual e outras agressões, oferece tratamento psicológico, assistência social e outras necessidades.

Na Casa do Pequeno Jardineiro, por exemplo, inúmeras idéias surgiram para ampliar o número de jovens atendidos. Em função da formação que os adolescentes recebem, transformando-se em jardineiros profissionais, além da inclusão social, Elba, Miguel Júnior e sua esposa Sandra já começaram a analisar outros locais para ocupação destes jovens.

Além de ingressarem no mercado de trabalho, estes jovens conseguem melhoria na condição financeira das famílias. O alcance social é bastante amplo e o número de oportunidades pode ser aumentado em breve.

No Cerad, onde são recolhidos os menores infratores, muitas modificações devem ser implantadas. O principal objetivo da comissão de visitantes é humanizar totalmente o tipo de atendimento, para que os jovens encaminhados para lá, recebam tratamento digno que colabore com a resocialização deles, mudando totalmente o estilo de vida, para melhor. Modelos de orientação para ocupação do tempo ocioso deverão ser implantados muito em breve.

Na Casa de Abrigamento Social, de adolescentes que tiveram seus direitos violados, deverão ocorrer algumas alterações, objetivando também humanizar ainda mais o atendimento. Lá os adolescentes recebem orientações psicológicas e apoio social, objetivando a total integração deles na sociedade e, principalmente, na família.

Na Casa Lar, onde são acolhidas crianças de 0 a 12 anos, vítimas de negligências diversas por parte dos pais, a estrutura física deve ser modificada. O espaço já está sendo elaborado dentro de um projeto moderno e mais adequado ao atendimento. Além do acompanhamento rotineiro da vida das crianças, existe ainda o psicológico, realizado por profissional que atende no local.

Notícias relacionadas