Prisão temporária da advogada Juliana de Paula é prorrogada

Prisão temporária da advogada Juliana de Paula é prorrogada

A prisão temporária da advogada Juliana de Paula foi prorrogada por mais cinco dias, informa a Assessoria de Comunicação da Polícia Civil. Ela foi presa na última sexta-feira (28) por suspeita de tráfico de influência e participação em associação criminosa que atua em Araxá.

De acordo com os delegados que apuram o caso, Cézar Felipe Colombari da Silva (regional) e Conrado Costa da Silva (coordenador da investigação), prorrogação referendada pelo Ministério Público foi deferida pelo juiz substituto da Vara Criminal, Cláudio Henrique Cardoso.

Juliana prestou depoimento na tarde desta segunda-feira (31). Os delegados informaram ainda que três vítimas da advogada compareceram à delegacia, onde relataram sobre algumas práticas criminosas que teriam sido cometidas pela investigada.

O delegado Conrado concede entrevista à imprensa nesta terça-feira, às 15h30, para falar mais sobre o caso. A acusação aponta que a advogada Juliana de Paula cobrava valores extras de clientes acusados por crimes para, supostamente, pagar membros do Ministério Público, do Poder Judiciário e da polícia, insinuando que tais pagamentos ajudariam na absolvição de seus clientes.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, ela responde por outros inquéritos como subtração de processo judicial, coação durante processo judicial e furto, este já sendo indiciada. Diversos documentos foram apreendidos e o caso segue em investigação.

Notícias relacionadas