Produção de leite em Minas Gerais será recorde em 2008

O rebanho leiteiro de Minas Gerais deverá bater um recorde histórico neste ano. A previsão é que o Estado alcance uma produção de 7,6 bilhões de litros de leite, um aumento de 3,7% em relação ao ano anterior. Minas é o maior produtor brasileiro de leite, com aproximadamente 30% do total produzido. A projeção de crescimento foi feita pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

De acordo com o assessor da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Rodrigo Venturin, esse crescimento ocorreu pela expectativa de aumento de renda gerada na atividade leiteira, diante de melhores preços. “No mercado internacional os preços dos produtos lácteos, nos primeiros sete meses do ano, cresceram 76% em relação ao mesmo período de 2007”. Segundo ele, houve um estímulo para a exportação de produtos lácteos, principalmente leite em pó. Em Minas, o aumento foi de 274% no valor arrecadado e 113% na quantidade exportada. Já no mercado interno, houve um aumento do consumo, conseqüência da melhoria de renda da população brasileira.

Em Minas, outro aspecto relevante que estimulou os produtores foi o investimento de empresas de diferentes segmentos, adquirindo e ampliando indústrias de laticínios. Segundo Rodrigo Venturin, o setor responde rapidamente com o aumento da produção de leite, quando os preços de mercado são remuneradores. “O pecuarista investe na alimentação das vacas, o que resulta em aumento da produção”, comenta.

“O crescimento da produção só será sustentado se a demanda for equivalente. Num determinado momento, o preço e a quantidade atingem tetos de absorção pelo mercado”, explica o assessor da Secretaria. O setor já começa a se preocupar com este crescimento da produção, pois caso o mercado internacional se retraia ou o consumo interno diminua, pode-se ter uma forte queda dos preços pagos aos produtores, que já estão sendo penalizados com o aumento no custo de produção. “Desde junho, já se verifica uma redução dos preços pagos ao produtor, embora ainda estejam acima da média histórica”, afirma Venturin.

Segundo o estudo da Embrapa, o índice de custo de produção de leite registra um incremento no custo de produção de 19,7%, acumulado nos últimos 12 meses. Os estudos indicam que os principais reajustes ocorreram no sal mineral (86%) e na ração (27%). Rodrigo Venturin recomenda, ainda, que façam a gestão de suas propriedades como empresas, de forma a otimizar os fatores de produção e adotar tecnologias adaptadas à realidade da região, potencializando a renda da atividade.

O estudo da Embrapa sobre os custos de produção está publicado no Centro de Inteligência do Leite (www.cileite.com.br), desenvolvido em parceria com a Secretaria de Agricultura de Minas Gerais. O Centro é uma ferramenta de análise conjuntural à disposição da cadeia produtiva.

Notícias relacionadas