Produção de leite em Minas será avaliada por meio de software

Produção de leite em Minas será avaliada por meio de software

O Programa Estadual da Cadeia Produtiva do Leite (Minas Leite), criado pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), vai oferecer mais apoio aos pecuaristas com ajuda do computador. Um software, que será lançado em maio, terá dados sobre o gerenciamento de cada uma das propriedades cadastradas no programa.

“O destaque será para os resultados da produção do leite, principal referência para avaliação das medidas adotadas pelos produtores”, informa o assessor especial do Minas Leite pela Seapa, Rodrigo Venturim.

O assessor explica que o objetivo é oferecer uma radiografia das fazendas assistidas pelo Minas Leite. Ele acrescenta que o software, criado sob a coordenação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-MG), vai apresentar também dados sobre a produção de queijo nas fazendas cadastradas.

“As informações sobre o queijo fazem parte do cadastro geral da propriedade, a ser atualizado anualmente, enquanto os demais dados sobre a atividade de cada fazenda terão atualização mensal”, diz.

Venturin diz que os responsáveis locais da Emater-MG terão acesso aos dados sobre as propriedades cadastradas do município. Com as informações obtidas no software, eles poderão preparar relatórios sobre os resultados obtidos pelas fazendas no mês anterior para apresentar nas reuniões com os pecuaristas e, se for o caso, propor mudanças na atividade.

Os dados poderão ser fornecidos também individualmente, pelos extensionistas, aos produtores que fizerem a solicitação inclusive por e-mail.

Cada Unidade Regional (Uregi) da Emater-MG terá acesso às informações sobre o conjunto das fazendas cadastradas nos municípios sob a sua assistência.

Já o acesso aos dados de todo o Estado será feito exclusivamente pelos assessores do Minas Leite pela Secretaria da Agricultura e Emater-MG. Segundo Venturin, a avaliação periódica do programa possibilitará, se for o caso, a revisão da política de apoio aos pecuaristas mineiros.

Os números incluídos no software serão transcritos de uma agenda utilizada nas propriedades orientadas. Esses registros se referem a manejo reprodutivo, movimentação dos animais, manejo de pastagem, controle leiteiro, fluxo de caixa e qualidade do produto.

Para Venturin, o item mais importante é a análise do fluxo de caixa, pois com base nesses dados os técnicos podem recomendar mudanças das ações nas propriedades.

Ênfase na gestão

Para o coordenador do Minas Leite pela Emater, Elmer Almeida, a ênfase do programa desenvolvido nas propriedades é a gestão da pecuária, o controle zootécnico e contábil da atividade.

“Ao registrar as ações desenvolvidas na fazenda, o produtor acaba com a improvisação. Os relatórios possibilitam um controle maior, a avaliação dos índices produtivos e a identificação dos fatores que dificultam a gestão.”

Elmer acrescenta que os dados registrados pelo produtor revelam, para o técnico, o perfil da propriedade, facilitando a busca de alternativas para a correção de rumos na atividade.

Ele acredita que o suporte do software permitirá a realização desse trabalho com maior segurança.

Notícias relacionadas