Produção de marmitas para servidores públicos necessita de espaço adequado

Produção de marmitas para servidores públicos necessita de espaço adequado

A falta de infraestrutura da Cantina Municipal pode prejudicar a qualidade das marmitas fornecidas para os servidores públicos. A cozinha onde as refeições são preparadas, localizada no almoxarifado da prefeitura ao lado do Cemitério São João Batista, não tem condições para armazenar e cozinhar a grande quantidade de alimentos.

O espaço pequeno, a falta de uma cozinha industrial e a péssima condição física do prédio prejudicam o serviço. Cerca de 1,2 mil marmitas são preparadas diariamente na cantina, são mais de 140 quilos de arroz, 35 quilos de feijão e 120 quilos de carne, além do café da manha onde são servidos 800 pães e 220 litros de leite.

Os alimentos são de boa qualidade. A prefeitura tem um processo licitatório para fornecimento de todos os produtos que são consumidos na cantina. As verduras, por exemplo, são entregues diariamente para evitar estragos e a maioria dos produtos é de marcas reconhecidas.

A cada três meses, o local é dedetizado para evitar moscas, ratos e baratas. Mesmo com a higienização do local, algumas baratas acabam aparecendo. Com a falta de uma cozinha industrial e tempo para preparar todas as marmitas, os funcionários são obrigados a pré-cozinhar os alimentos oito horas antes de acabar de ser temperada e ser preparada.

A cozinheira Maria Isabel diz que a carne e o feijão são os únicos alimentos pré-cozidos. “Não temos tempo e nem estrutura para cozinhar mais de 1,2 mil marmitas. Para atender toda a demanda é necessário que a equipe da parte da noite comece a preparar a comida, mas é algo normal, quando chegamos às panelas ainda estão quentes. Esse procedimento não prejudica a qualidade das refeições. Realmente, temos encontrado muitas baratas na cozinha, mas em todo lugar onde se mexe com alimentos aparece rato e barata. Sempre fazemos a limpeza do local, mas é complicado porque a gente cozinha muita comida.”

O supervisor da cantina, Nelson Leandro, diz que os funcionários se esforçam ao máximo para preparar as marmitas. “Temos que destacar o carinho, a dedicação, com que esses funcionários preparam as refeições dos servidores. Temos alguns problemas de infraestrutura e o prefeito está providenciando melhorias, mas fazemos tudo para manter o local higienizado e com todos os alimentos frescos”, diz.

“A cantina segue um cardápio diário que é acompanhado por uma nutricionista e estamos providenciando um profissional para acompanhar também o preparo das refeições”, explica.

O secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, João Bosco Borges, diz que o número de marmitas fornecidas é bem maior que alguns anos atrás. “Quando assumimos a cantina era fornecido cerca de 200 marmitex e hoje são mais de 1,2 mil. Isso prova que a qualidade das refeições é boa. Estamos trabalhando com a cantina um pouco limitada porque temos um projeto de construção de uma cantina nova e, por isso, não podemos investir”, afirma.

“Todo o produto alimentar que é consumido é de excelente qualidade e de boa procedência, inclusive, temos notas fiscais das empresas e associações que compramos os alimentos. As refeições começam a ser preparadas às 3h30 porque o espaço disponível é pequeno, mas nada que prejudique a qualidade das marmitas”, diz o secretário.

Confira as instalações precárias da Cantina Municipal 

Notícias relacionadas