Produtores mineiros apostam no plantio do feijão

Produtores mineiros apostam no plantio do feijão

A produção de feijão deve ser o destaque da safra mineira de grão em 2009. De acordo com o levantamento divulgado nesta semana pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção do grão é a que irá apresentar o maior crescimento no Estado. Segundo a Conab, a colheita da primeira safra de feijão em Minas no próximo ano deve ser de 228 mil toneladas.

O aumento é de 13% em relação à primeira safra de feijão de 2008. Minas Gerais é o segundo maior produtor do grão, atrás do Paraná. A cultura conta com mais duas safras anuais, que ainda não foram estimadas pela Conab.

“O crescimento da produção do feijão da primeira safra é explicado pelo preço elevado na época do plantio”, explica o superintendente de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), João Ricardo Albanez. Ele lembra que o reajuste estipulado pelo governo federal de 65% para preço mínimo da saca de 60 quilos também incentivou o investimento nas lavouras.

Já a produção geral de grãos em Minas Gerais deve apresentar, em 2009, uma pequena retração de 1,8% em relação à safra anterior. A safra do próximo ano deve ser de 10 milhões de toneladas, a terceira maior da história. O recorde mineiro foi em 2005, com 10,4 milhões de toneladas, seguido da produção de 2008, com 10,2 milhões de toneladas de grãos. No Brasil, a safra 2009 terá uma queda de 2,5%, ficando em 140 milhões de toneladas.

A queda estimada na produção estadual e nacional de grãos se deve, principalmente, à redução da produção de milho. A retração esperada para a safra do grão ocorreu em todos os principais estados produtores.

Em Minas Gerais, a redução da produção do milho na primeira safra de 2009 deve ser de 3,8%, ficando em 6,2 milhões de toneladas. No Brasil, a queda na primeira safra de milho no próximo ano será ainda maior. Segundo a Conab, a redução nacional será de 7,4% na comparação com 2008.

“A retração é provocada pela queda de preço do milho no mercado interno e externo, além da dificuldade em obter crédito”, explica Albanez. Segundo ele, outro fator que levou os produtores a reduzir a área plantada foi o alto valor dos insumos. “As boas condições climáticas serão ainda mais determinantes para a safra de milho de 2009, pois houve uma redução do uso de fertilizantes”, afirma.

Já a safra da soja em Minas Gerais deve apresentar, no próximo ano, um pequeno aumento de 0,2%, com uma produção de 2,5 milhões de toneladas. Depois do milho, a soja é o grão mais cultivado no Estado.

Notícias relacionadas