Queda de temperatura favorece a transmissão de doenças respiratórias

Queda de temperatura favorece a transmissão de doenças respiratórias

Nesta época do ano em que as temperaturas caem e o ar fica mais seco, é importante se atentar para os cuidados necessários para prevenir a transmissão dos vírus causadores de doenças respiratórias, especialmente os da gripe.

Como explica a coordenadora estadual de Doenças e Agravos Transmissíveis da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Janaína Fonseca Almeida, a ocorrência de gripe e demais doenças respiratórias é maior nos meses de outono e inverno, quando a temperatura climática diminui. “A sazonalidade do vírus Influenza (causador da gripe) tem início em meados de abril e perdura até o final de julho. Em 2014, a maior parte dos óbitos foi detectada nos meses de abril e maio, com ocorrência importante também em junho e início de julho”, alerta.

A gripe é uma doença infecciosa causada pelo vírus Influenza A, B e C, que acomete as vias respiratórias. Os tipos A e B sofrem frequentes mutações e são responsáveis pelas epidemias sazonais, também por doenças respiratórias com duração de quatro a seis semanas e que, frequentemente, são associadas com o aumento das taxas de hospitalização e morte por pneumonia.

A vacina contra a gripe é a maneira mais eficaz de evitar complicações e internações causadas pela doença. Além disso, é segura e só não é recomendada para quem tem alergia severa a ovo de galinha e derivados. Mais informações sobre a vacina e a campanha de imunização, disponíveis em: www.saude.mg.gov.br/gripe.

Vírus respiratórios 

Além do vírus causador da gripe, existem outros responsáveis pelo adoecimento nesta época do ano. O vírus sincicial respiratório é um vírus de distribuição mundial, causador de doenças como bronquiolite, pneumonia e insuficiência respiratória, em surtos sazonais nos meses frios (outono e inverno). A Coordenadora, Janaína Almeida, destaca que fazem parte do grupo mais propenso a se contaminar com esse vírus pessoas imunocomprometidas (que têm o sistema imunológico comprometido) crianças menores de seis meses, cardiopatas, pneumopatas e idosos que vivem em instituições (casas de repouso, asilos, etc).

Já o rinovírus é um agente causador mais comum dos resfriados, sem sazonalidade definida, enquanto a parainfluenza é causada por um vírus de distribuição mundial que, infelizmente, pode ocorrer durante todo o ano, especialmente nos adultos, porém as infecções são geralmente assintomáticas ou leves. O risco dessa doença é maior entre idosos, particularmente os institucionalizados. Outro vírus é o adenovírus, que é mundialmente distribuído e causa surtos principalmente no final do inverno, na primavera e no início do verão. É comum ocasionar faringite (inflamação da garganta), conjuntivite, pneumonia e diarreia.

Contaminação e prevenção 

As formas de contágio destas doenças são as mesmas da Influenza, que ocorre por meio de secreções liberadas pela pessoa infectada ao tossir, falar ou espirrar. Ambientes fechados e com pouca circulação de ar também são favoráveis para a transmissão da doença, que pode ser contida com medidas simples. Entre elas, lavar bem as mãos com água e sabão, beber bastante água, evitar locais aglomerados, manter a janela do ônibus sempre aberta e, ao tossir ou espirrar, usar a parte interna do braço, nunca as mãos. 

Notícias relacionadas