Santa Casa adota política de redução de atendimentos

Santa Casa adota política de redução de atendimentos

Com uma divida de R$ 4,1 milhões e uma déficit mensal de R$ 250 mil, a Santa Casa de Misericórdia de Araxá inicia nesta terça-feira ( 1º), uma política de redução do número de atendimentos realizados. A superintendência e provedoria do hospital anunciou que passará a atender somente o preconizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e poderá reduzir mais de 50% o número de serviços médico-hospitalares se não houver parceria com a Prefeitura de Araxá ou empresas privadas.

A medida é a última alternativa encontrada pela direção da entidade para evitar a suspensão de todos os serviços prestados à população e, consequentemente, o fechamento do hospital. O anúncio foi acompanhado pelo Ministério Público (MP) por meio da curadora de Saúde, promotora Mara Lúcia Silva Dourado.

A superintendente da Santa Casa, Diane Dutra, diz que situação financeira do hospital é crítica. “Temos uma preocupação enorme com a atual situação. Sabemos da importância da Santa Casa para a população da microrregião. Sabemos que diminuir atendimento tem consequência e não era esse nosso objetivo. Chega a um ponto que se não solucionar o problema, vamos ter que fechar. Não é nosso objetivo, não é o que queremos. Trabalhamos muito para viabilizar o hospital, mas a situação é crítica e chegamos a uma situação que não temos alternativas. Vamos negociar. O que for possível vamos atender. Essa negociação depende de uma parceria com o município. No dia a dia teremos que negociar esses atendimentos”, destaca a superintendente.

De acordo com ela, o número de atendimentos poderá reduzir mais de 50%. “Estamos tentando adotar nossa política de redução do número de atendimentos de uma maneira que não prejudique a população. Como nosso contrato é mensal, estou em negociação com a regulação do número de serviços que podemos fazer e o que fazer com o restante. Se não houver negociação, vamos tentar manter somente o que está no contrato, ou seja, menos que 50% dos serviços que realizamos hoje. Eu não sei dizer o que o cidadão poderá fazer se não conseguir atendimento na Santa Casa.  Eles (administração municipal) terão que encaminhar, dependendo da necessidade, para Uberaba. Eu não sei te falar como essa regulação será feita”, explica a superintendente, Diane Dutra.

Nota da Secretaria Municipal de Saúde

A Superintendência Regional de Saúde de Minas Gerais tomou conhecimento através da Secretaria Municipal de Saúde de que a Santa Casa vai cumprir apenas os procedimentos contratados com o SUS, que são gerenciados pelo estado de Minas Gerais.

A Secretaria de Saúde já entrou em contato com a Santa Casa e vai realizar licitação para poder adquirir os serviços excedentes dos hospitais credenciados pelo SUS na região.

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: