Seapa anuncia parceria para dar mais segurança no campo

Seapa anuncia parceria para dar mais segurança no campo

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), André Merlo, e o secretário de Defesa Social, Marco Antônio Romanelli, assinaram termo de cooperação técnica com o objetivo de implantar ações integradas de segurança no meio rural.

A parceria é o primeiro passo para atender à demanda de produtores e lideranças rurais em relação ao tema segurança no campo. A violência e a necessidade de ações preventivas no espaço rural são dois temas fundamentais que integram o eixo da Agenda Estratégica da Seapa, que apresenta as ações para o desenvolvimento sustentável da agricultura do Estado no período 2014-2030.

Segundo o secretário de Agricultura, André Merlo, a crescente criminalidade rural exige uma mudança estrutural e organizacional da defesa social para assegurar a continuidade do desenvolvimento deste importante segmento da economia. “A criminalidade rural passa, atualmente, pelo roubo e furto da produção, equipamentos e insumos. Daí a importância do trabalho em parceria com os diversos órgãos de Governo para implantar ações efetivas de segurança”, afirma.

De acordo com o termo assinado, a Secretaria de Agricultura se compromete a realizar encontros regionais com os órgãos do sistema operacional da agricultura (Emater, Epamig, IMA e Ruralminas) e com as instituições representativas do segmento rural com o objetivo de produzir documentos com as demandas das regiões; avaliar e definir as regiões que serão atendidas. De acordo com o secretário André Merlo, a proposta é priorizar ações para a identificação do tipo de crime mais comum em cada região para que o trabalho de combate à criminalidade seja mais eficiente.

A Secretaria de Defesa Social vai coordenar políticas e ações de segurança pública no campo, em parceria com as polícias Militar e Civil e com as entidades da sociedade civil organizada; articular e coordenar ações de integração dos órgãos de defesa social, em especial na gestão da informação e do planejamento operacional, além de desenvolver as atividades, visando à redução da criminalidade na área rural.

Os dois órgãos conjuntos se comprometem a disponibilizar informações que possibilitem o mapeamento e análise da evolução da criminalidade rural. Além de definir, em parceria, as ações que possam ser desenvolvidas para aumento da segurança no campo e articular junto aos produtores rurais e suas organizações o desenvolvimento de ações para prevenção e combate à criminalidade. O termo assinado tem vigência de cinco anos, a contar da assinatura, podendo ser prorrogado por igual período.

Notícias relacionadas