Segundo Polícia Civil, Sargento Amilton e Eustáquio Pereira confessaram venda de apoio político

Segundo Polícia Civil, Sargento Amilton e Eustáquio Pereira confessaram venda de apoio político

A Polícia Civil confirmou que os vereadores Sargento Amilton e Eustáquio Pereira, ambos do PT do B, confessaram a prática de corrupção passiva durante os interrogatórios realizados pela Polícia Civil e o Ministério Público nesta sexta-feira (21).

Os dois colaboraram com as investigações e tiveram o alvará de soltura concedido. Os vereadores José Domingos (PDT) e Juninho da Farmácia (DEM), licenciado do cargo para ocupar a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, permanecem presos no Presídio Regional de Araxá. A prisão temporária dos dois encerra no próximo domingo (23).

De acordo com o delegado regional Cézar Felipe Colombari, os dois parlamentares confessaram plenamente o recebimento dos valores provenientes do vereador Miguel Júnior (PMDB) referente à compra e venda de apoio político na Câmara Municipal. “A investigação é ampla, onde estiver informação sobre suspeita de fraude ou corrupção a Polícia Civil vai ir atrás. Todas as pessoas que colaboram com  a investigação foram liberadas, porém, continuam sendo investigados.”

Todos os vereadores envolvidos na Operação Limpeza foram presos por suposta corrupção  passiva praticada pela corrupção ativa do presidente da Câmara Municipal de Araxá, Miguel Júnior, enquanto candidato a presidência da Câmara.

Algum tipo de vantagem pecuniar (propina) ou não eles receberam para apoiar a candidatura para eleição e reeleição da presidência, segundo as investigações.

O vereador Sargento Amilton ainda nega participação no esquema de desvio de dinheiro da Santa Casa de Misericórdia de Araxá. 

Notícias relacionadas