Seminário em Araxá prevê greve dos trabalhadores em educação

Seminário em Araxá prevê greve dos trabalhadores em educação

Na segunda-feira (17) aconteceu o 1º seminário do ano do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação em Minas Gerais (Sind-UTE/MG) em Araxá. A coordenadora Beatriz Cerqueira tratou de três assuntos principais: carreira, Lei 100 e campanha salarial 2014.

Ela iniciou falando da enorme dificuldade do diálogo com esse governo, dos ganhos nas negociações e o descumprimento de acordos do governo com a categoria. Na greve de 2010 os servidores voltaram a ter férias-prêmio, este ano o governo descumpre esse acordo ao não divulgar a lista dos 10% dos servidores que adquiriram o direito às férias-prêmio no primeiro semestre.

De acordo com Beatriz, o concurso público duramente conseguindo completará dois anos de homologação em novembro deste ano e há uma morosidade enorme da secretária de Educação para realizar as nomeações.

Além disso, as salas estão sem condições de receber os alunos. Em 60% das escolas do ensino fundamental não existe local adequado para os alunos fazerem suas refeições, e quadro de funcionários está incompleto.

Outro problema grave é o fechamento do curso noturno que leva a redução do quadro de pessoal da educação e evasão escolar, já que muitos alunos acima de 14 anos têm que exercer alguma atividade profissional no período diurno. Na greve histórica de 2011 o governo assinou acordo com o sindicato prometendo pagar o piso salarial nacional, até hoje não cumpriu. Depois de muita luta da categoria em 2013, foi aprovado um projeto de lei que concede o reajuste de 5% aos servidores e descongelamento da progressão na carreira.

Com o anúncio de 2,5% o governo não está antecipando a progressão, a mesma já era direito do servidor desde 2004. Servidores designados, aposentados e pensionistas não terão direito à progressão.

Sobre a Lei 100, a coordenadora esclareceu que esta foi criada para solucionar um problema do governo com o Instituto de “Previdência Social”. Esta Lei está para ser julgada pelo STF.

“Cadê 19,9% de reajuste anunciados pelo governo em todos os meios de comunicação?”

A primeira assembleia da categoria acontece na próxima quarta-feira (26) e uma greve da categoria não está descartada, assim como as mobilizações durante os jogos. Beatriz diz que as demandas coletivas sempre devem sobrepor as individuais, pois todos estão no mesmo barco.

Notícias relacionadas