Servidores da Prefeitura de Araxá convocam paralisação geral

Servidores da Prefeitura de Araxá convocam paralisação geral
Foto: Arquivo/Sinplalto

Sem a recomposição salarial anual e o prazo para que a Prefeitura de Araxá conceda o reajuste perto do fim devido o período eleitoral, os servidores municipais estão organizando uma manifestação para a próxima quinta-feira (19), a partir das 9h, na escadaria da Igreja Matriz de São Domingos.

O funcionalismo público promoverá uma paralisação geral em protesto à desvalorização da categoria e as promessas de reajuste salarial feitas pelo prefeito Aracely de Paula que não foram cumpridas até agora, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Araxá e Região (Sinplalto), que vai notificar a administração municipal ainda esta manhã (16) sobre a decisão dos servidores.

O aumento nos preços de alimentos, energia elétrica, combustíveis e outros produtos dispararam o custo de vida dos brasileiros. Com a inflação de 2015, a defasagem salarial dos últimos anos e a falta de uma recomposição da remuneração mensal, os servidores municipais têm enfrentado dificuldades financeiras para suprir necessidades básicas, como por exemplo, a alimentação.

De acordo com a Legislação eleitoral, o prefeito Aracely de Paula tem até o próximo dia 2 de junho, quatro meses antes das eleições, para conceder a recomposição anual do funcionalismo público.

De acordo com o presidente em exercício do Sinplalto, José Oswaldo da Silveira, o município tem condições de conceder a recomposição. “Sabemos das dificuldades financeiras que o país vive, mas o servidor não pode assumir essa responsabilidade sozinho. Não estamos pedindo um aumento. É apenas a recomposição salarial, com base na inflação do último ano. É um direito de todo o trabalhador”, diz.

“Se a Prefeitura de Araxá passa por dificuldades financeiras, que faça os cortes necessários. Não é justo prejudicar, mais uma vez, somente o funcionalismo público municipal. Se não houver a recomposição e o aumento no vale-alimentação, teremos servidores passando fome”, afirma o sindicalista.

Ele diz que a paralisação será somente o primeiro passo da manifestação. “Há meses temos informado à Prefeitura de Araxá sobre a insatisfação do servidor e a resposta que tínhamos era que um estudo de impacto financeiro estava sendo realizado. Só que o prazo está se esgotando, não temos mais tempo. Vamos realizar uma paralisação na quinta-feira, e uma assembleia geral da categoria na próxima semana. Se não houver a recomposição salarial, a tendência é que a categoria promova uma greve geral”, prevê José Oswaldo.

Reivindicação

Há mais de 60 dias, o prefeito Aracely de Paula declarou sobre um estudo de impacto financeiro que estaria sendo realizado para que fosse avaliado o percentual de reajuste para o funcionalismo público municipal. Porém, até o momento nenhuma proposta para os servidores chegou ao Legislativo araxaense.

A reivindicação dos servidores é que a recomposição salarial seja de 10,67%, percentual da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2015, e o reajuste no vale-alimentação.

Câmara Municipal

Em março passado, os vereadores aprovaram o aumento de 20% do vale-alimentação dos servidores da Câmara Municipal. Com o aumento, o benefício para o funcionalismo público do Legislativo passou de R$ 250 para R$ 300. No mês passado, a Câmara também concedeu a recomposição salarial de cerca de R$ 10% para seus servidores.

Os benefícios fazem parte do acordo da negociação salarial entre o presidente Carlos Roberto Rosa e o Sinplalto.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: