Sindicalista araxaense compõe diretoria da Nova Central Sindical dos Trabalhadores

Sindicalista araxaense compõe diretoria da Nova Central Sindical dos Trabalhadores

Hely Aires durante reunião na NCST - Divulgação

O sindicalista araxaense Hely Aires tomou posse como diretor de Comunicação Social da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST) nesta quinta-feira, 27, durante o 3º Congresso Nacional da entidade. O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Araxá e Região (Sinplalto) compõe a chapa que teve José Calixto Ramos reeleito presidente, por aclamação, por dezenas lideranças sindicais presentes no Centro de Treinamento Educacional (CTE), em Luziânia (GO). A nova diretoria administrará uma das maiores entidades sindicais no Brasil nos próximos quatro anos. De acordo com o jornal Valor Econômico, a NCST está entre as duas centrais sindicais que mais cresceram no país nos últimos anos.

A Nova Central Sindical de Trabalhadores foi criada pela unidade e propósito de alternativa de luta para os trabalhadores do Brasil. Fundada no dia 29 de junho de 2005, a entidade é a primeira central com sede em Brasília e composta por sete confederações, 136 federações e 3 mil sindicatos que, juntos, representam 12 milhões de trabalhadores em todo país.

Após a decisão eleitoral, o presidente José Calixto Ramos discursou para várias lideranças sindicais e autoridades presentes. Ele saudou as entidades filiadas e delegações das diversas categorias profissionais que estão colaborando para o sucesso do 3º congresso da entidade. Em seu discurso, Calixto lembrou aos convidados que, “a emoção que o acomete hoje é a mesma que teve no primeiro congresso da Nova Central Sindical de Trabalhadores, no ano de seu surgimento”.

O diretor-adjunto do Escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Stanley Gacek, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, e o assessor especial do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, José Lopes Feijoó, também discursaram. 

Stanley parabenizou o movimento sindical brasileiro e saudou a Nova Centra Sindical de Trabalhadores (NCST). Segundo Gacek, “importantes conquistas do trabalhador brasileiro só foram possíveis graças à atuação dos sindicatos que, em sua rotina diária permanecem atentos e vigilantes aos temas de interesse da classe trabalhadora”, afirmou. 

Manoel Dias, em seu discurso, destacou a trajetória sindical e o compromisso com as causas trabalhistas do presidente da NCST, José Calixto Ramos, “Calixto sempre foi fiel aos princípios que sempre abraçou”, destacou o ministro. Dias salientou que a posição do país em sentido oposto do que está ocorrendo no restante do mundo, permitiu celebrarmos os menores índices de desemprego da nossa história. Esses resultados, segundo o ministro, “se devem a um posicionamento governamental de prioriza a geração de empregos como alicerce fundamental para o desenvolvimento de políticas econômicas e sociais”, ressaltou. 

José Lopes Feijóo ressaltou o imenso mercado de massa que blindou a economia brasileira dos piores efeitos da crise econômica iniciada em 2008, mas que continua corroendo o mercado de trabalho e o conjunto direitos do trabalhador no restante do mundo. Para Feijóo, “o movimento sindical brasileiro teve um papel fundamental nessa condição privilegiada do nosso país, tendo em vista que os sindicatos sempre lutaram pelos interesses da maior parcela da população brasileira que é pertencente à classe trabalhadora”, disse.

Notícias relacionadas