Sinplalto e Aserpa reivindicam novas sedes caso permuta do estádio seja aprovada

Sinplalto e Aserpa reivindicam novas sedes caso permuta do estádio seja aprovada

O Fórum Comunitário da Câmara Municipal de Araxá promoveu a terceira rodada de debates sobre o projeto de lei de permuta da área do Estádio Fausto Alvim com a área do Grupo Kamel, nesta segunda-feira (30). O encontro contou com a participação do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais das Prefeituras, Câmaras e Autarquias da Microrregião do Planalto de Araxá (Sinplalto), Hely Aires, e do presidente da Associação dos Servidores Públicos da Prefeitura e da Câmara Municipal de Araxá (Aserpa), Antônio Eustáquio Mendes.

A principal reivindicação dos presidentes foi a construção de uma nova sede para as duas entidades que atualmente estão situadas na área proposta para a permuta (entorno do Fausto Alvim), caso o projeto de lei seja aprovado.

“Queremos garantir ao Sinplalto um local de atendimento para os servidores em comum acordo com o município. Eu sou favorável ao desenvolvimento, mas com ampla discussão com a comunidade para abrir claramente os interesses desse projeto. Esperamos que todo mundo possa sair ganhando com a aprovação ou não do projeto”, afirma Hely.

“A Aserpa já conta com um terreno que foi doado na avenida João Paulo II (próximo ao Centro de Atendimento à Criança) e precisamos ver com a prefeitura se a obra da nova sede vai ser bancada caso a permuta, que eu sou favorável, seja concretizada”, diz Antônio Eustáquio.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal, Carlos Roberto Rosa, se a permuta for aprovado as entidades terão os seus direitos assegurados.

“Vamos propor emendas no projeto pelos nossos colegas dando a garantia de que esse pessoal só vai sair da área do estádio após uma outra sede estar pronta, além da casa de uma pessoa que mora lá há mais de 26 anos. Queremos resguardar o direito de todos”, afirma.

Os próximos encontros serão promovidos com representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Academia Araxaense de Letras (AAL) e imprensa esportiva. Roberto acrescenta que a intenção é que o projeto de lei seja votado em reunião ordinária para que a comunidade compareça em grande número.

Notícias relacionadas