Sistemas de Informação oferece alta taxa de empregabilidade e excelentes salários

Sistemas de Informação oferece alta taxa de empregabilidade e excelentes salários

SÉRIE ESPECIAL – ESCOLHA A SUA PROFISSÃO

De acordo com a Sociedade Mineira de Software (Fumsoft), o setor de Tecnologia de Informação (TI) emprega formalmente em Minas Gerais um total de 7.240 pessoas. Em 2008, o segmento movimentou R$ 2,8 bilhões e projeta o crescimento de 11% no faturamento deste ano. O quadro positivo do setor revela que o seu desempenho não repercute as consequências da crise econômica.

As informações são do professor Wilton de Paula Filho, coordenador do curso de Sistemas de Informação do Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá). Segundo ele, há uma carência de profissionais de TI qualificados no mercado, porém vale ressaltar que outras competências são exigidas deste profissional, entre elas noções de inglês e um bom relacionamento pessoal.

O Uniaraxá oferece 60 vagas para o curso de Sistemas de Informação no período diurno no vestibular que a Instituição realiza no próximo dia 10. O curso proporciona o desenvolvimento de metodologias de sistemas, focado em inteligência e estratégias de negócios. A prática avançada é instrumentalizada através de três laboratórios de informática totalmente equipados.

As chances de estágio e emprego são grandes e prósperas, não só pela demanda por este tipo de profissional, mas também pelo fato de praticamente tudo atualmente necessitar de um programa (software) para o gerenciamento das informações.

O curso de Sistemas de Informação é praticamente um passaporte para o mercado de trabalho, mas para se dar bem neste segmento o candidato deve ser autodidata, curioso, gostar de matemática e de raciocínio lógico e ter interesse por tecnologias. O salário inicial rm Araxá gira em torno de R$ 1,2 mil e pode chegar a R$ 4,5 mil em centros maiores.

O egresso Renato Corrêa teve algumas portas abertas logo que começou o curso e uma delas foi a oportunidade de fazer estágio no Uniaraxá. Após um ano de trabalho e dedicação, ele já fazia fazer parte do quadro efetivo de funcionários. Ciente de que a área de Tecnologia da Informação tem um importante papel estratégico em qualquer instituição, desde microempresas até multinacionais, ele não perdeu tempo e logo após concluir o curso já se inscreveu na pós-graduação em Engenharia de Software na Universidade Federal de Lavras (Ufla) e assim que terminar pretende ingressar num curso de mestrado para ministrar aulas.

Para ele, na área de Tecnologia da Informação a pesquisa e a descoberta de novos conceitos acontecem muito rápido, então o profissional não pode parar no tempo, tem que procurar renovar sempre seus conhecimentos.

“Temos um mercado de trabalho faminto por profissionais bem qualificados, com experiência, principalmente nos grandes centros como São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Uberlândia, onde há vagas que não são preenchidas por falta de profissionais capacitados. Eles são disputados pelas empresas, fazendo com que o salário oferecido cresça”, informa Renato.

O curso de Sistemas de Informação do Uniaraxá oferece uma série de diferenciais aos alunos, de acordo com o coordenador Wilton, tais como professores qualificados (mestres e doutores), assinatura de mais de 14 tipos de periódicos na área de informática, Mostra de Software, Jornada de Informática (palestras e minicursos), laboratórios de informática de última geração, laboratório exclusivo para desenvolvimento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), internet sem fio (wireless), convênio com a Microsoft (disponibilização de softwares gratuitos aos alunos, tais como Windows Vista e Microsoft Visual Studio.NET), visitas técnicas a empresas da área de informática e afins, cursos de férias e minicursos durante o semestre letivo, convênios de estágios remunerados com o Grupo Zema, Kamel, CBMM, Bunge, Fosfertil, entre outros; salas de aulas com projetores multimídia e programa leitura complementar.

Rafael recomenda a formação continuada para melhorar a performance profissional do graduado e as oportunidades são variáveis, de acordo com a área de atuação.

“Se a escolha for pela área acadêmica, o mestrado é uma ótima escolha para se tornar professor. Agora, se o aluno quer atuar na área empresarial, recomendo algumas certificações e cursos de pós-graduação. Se o profissional trabalha com alguma ferramenta específica ou com um método de trabalho, a certificação comprovará que ele possui conhecimento elevado sobre certo assunto. Já a pós-graduação tornará o aluno especialista em uma área, focando seu conhecimento.”

Cursos como Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Sistemas de Informação, Sistemas para Internet entre outros têm a característica de atrair pessoas aficionadas por tecnologias e curiosas por novidades tecnológicas.

Wilton diz que o mundo vive a era dos robôs, prevista anos atrás por autores e diretores de filmes de ficção, e por isso, é cada vez mais requisitado o trabalho do profissional de tecnologia da informação, para operar tanto na construção das peças (hardware) como do programa (software) capaz de fazer com que os produtos funcionem corretamente e de forma segura.

“Atualmente percebe-se que os produtos estão cada vez mais inteligentes, ou seja, com muita tecnologia embutida, e isto significa dizer que já estamos vivendo uma realidade futurista”, avalia o professor.

Notícias relacionadas