Super banner
Super banner

SRS desmente sobre trabalho para resolver situação financeira da Santa Casa

SRS desmente sobre trabalho para resolver situação financeira da Santa Casa

Santa Casa - Google

Da Redaçãop/Isabella Lima – A greve dos pediatras da Santa Casa de Misericórdia no início do mês gerou um empurra-empurra de culpa entre a Prefeitura de Araxá e a diretoria do hospital. O diretor administrativo da Santa Casa, Adair da Silva, disse que a culpa pela demora nos pagamentos era da prefeitura, por atraso em duas parcelas do convênio de R$ 2,52 milhões firmado este ano. E a prefeitura responsabilizou a falta de planejamento do hospital.

No dia 8 de maio, o superintendente Regional de Saúde, Iraci Neto, esteve em Araxá e se reuniu com a secretária municipal de saúde, Patrícia Auxiliadora. Desde então, sempre que indagada sobre a Santa Casa, Patrícia declarava à imprensa que estava esperando um relatório da Superintendência Regional de Saúde (SRS) em busca de uma solução para o impasse.

Com a demora do relatório, a reportagem do Diário de Araxá procurou Iraci e ouviu que o responsável pela SRS esteve na cidade apenas para tratar do combate à dengue e que a breve visita à Santa Casa foi só para apresentar a estrutura do hospital aos novos coordenadores de saúde.

“A visita à Santa Casa não foi nada específico. Foi uma visita aproveitando a vinda a Araxá, nada sobre a questão dos problemas financeiros”, disse.

Iraci explicou que foi convidado pelo Ministério Público a dar esclarecimentos sobre a Santa Casa, mas que aguarda um agendamento oficial para a reunião entre MP, SRS, prefeitura e Santa Casa.

“O Estado deve intermediar as questões entre prefeitura e Santa Casa. Temos que dar assistência também porque a Santa Casa é referência para outros municípios, mas quem vai resolver toda essa questão é o Ministério Público”, conclui.</p>

Parcela antecipada

Nesta sexta-feira (18), a prefeitura divulgou uma nota sobre o pagamento antecipado de uma parcela para o pagamento de três meses de plantões de obstetras e anestesistas que ameaçaram paralisar o serviço.

Notícias relacionadas