Suspeito de desviar recursos de show em prol da Santa Casa é liberado, mas pode responder por até três crimes

Suspeito de desviar recursos de show em prol da Santa Casa é liberado, mas pode responder por até três crimes

Foi liberado na tarde de hoje (16) o empresário Alessandro Cardoso, que é suspeito de desviar dinheiro de um show da dupla Gino e Geno em prol da Santa Casa de Misericórdia de Araxá. A prisão temporária venceu nesta quarta-feira e Alessandro já está em liberdade. O empresário segue sob investigação e a Polícia Civil tem indícios da participação de pelo menos mais uma pessoa no crime. O inquérito policial, presidido pelo delegado Conrado Costa da Silva, está em fase final e deve pedir o indiciamento de Alessandro por até três crimes; estelionato, peculato e associação criminosa.

Segundo o delegado regional Cézar Felipe Colombari da Silva, o depoimento de hoje surpreendeu negativamente a polícia. “Confesso que fiquei surpreso e até não consegui me conter pelo nível de cinismo que a Polícia Civil percebeu na realização do evento”, destaca.

Cézar Felipe afirma que Alessandro lesou a instituição em benefício próprio. “Agora no detalhamento dos patrocinadores a gente teve, por exemplo, a confissão do investigado de que uma clínica veterinária tinha permuta pra ele poder cuidar do cachorro dele em troca do patrocínio do evento”, afirma o delegado.

As investigações reiteram que o evento não só deu lucro como deveria ter dado um retorno financeiro bem maior para a Santa Casa. Mesmo assim, nenhum centavo chegou aos cofres do hospital.

De acordo com o delegado Conrado, o inquérito está praticamente concluído. Ele destaca que Alessandro pode ser indiciado por estelionato, e dependendo do decorrer das investigações o empresário também poderá responder por peculato devido ao cargo de coordenador de Comunicação que ele exercia na Santa Casa.

O delegado Cézar Felipe acrescenta que não houve a participação de ninguém da Santa Casa no crime cometido por Alessandro, mas que a Polícia Civil pode chegar a mais uma pessoa favorecida com o evento. Caso isso seja comprovado, Alessandro também deve ser indiciado por associação criminosa.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: