Uniaraxá analisa primeiros quatro meses do Programa de Educação Integral

Uniaraxá analisa primeiros quatro meses do Programa de Educação Integral

O Programa de Educação Integral da rede municipal de ensino, através da interação entre a Escola Municipal de Aplicação Lélia Guimarães o Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá) vem cumprindo com sucesso o seu papel socioeducativo de oferecer, além de uma educação de qualidade no turno regular, oficinas pedagógicas no turno inverso, atendendo estudantes do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental de forma completa.

Nos primeiros quatro meses de funcionamento do projeto, o resultado vem correspondendo de forma satisfatória às expectativas da Secretaria Municipal de Educação e dos coordenadores do Uniaraxá.

Alunos atendidos pelo Programa Tempo Integral

O programa visa atender crianças de famílias de baixo poder aquisitivo através de uma proposta pedagógica que responda às necessidades básicas dos alunos das escolas públicas, oportunizando-lhes maior qualidade de ensino, na medida em que eles são trabalhados em todas as áreas do conhecimento, ampliando, com metodologias diversificadas, os conteúdos da base curricular.

A essência do projeto é a permanência da criança na escola, assistindo-a integralmente em suas necessidades básicas e educacionais, ampliando o aproveitamento escolar, reduzindo os índices de evasão e repetência e protegendo-o dos riscos sociais.

Na Escola Municipal de Aplicação Lélia Guimarães são atendidos 120 alunos em dois turnos – manhã, das 7 às 10h30, e tarde, das 14 às 17h20. Os alunos recebem alimentação especial. São utilizados todos os espaços acadêmicos, esportivos, culturais, de saúde e de lazer destinados aos cursos superiores para o desenvolvimento de atividades pedagógicas dos alunos da Escola de Aplicação.

O projeto é desenvolvido através de oficinas com duração de uma hora cada, mediadas por estagiários do Uniaraxá, dos cursos de Pedagogia, Ciências Biológicas e Educação Física.

São desenvolvidas aulas de reforço escolar, através de atividades lúdicas onde se usam jogos pedagógicos, o que desperta o interesse e motiva os alunos pelas aulas, que são diferenciadas das aulas regulares de Ensino Fundamental, segundo a coordenadora da Escola em Tempo Integral, professora Marlene das Dores Ribeiro.

Os alunos têm em sua grade curricular Jogos Matemáticos, Letramento, Literatura, Artes, Educação Ambiental, Informática, Natação, Dança, Futebol e Atletismo. Trabalha-se a socialização, relações interdisciplinares e formação de bons hábitos.

“Temos que ressaltar a estrutura que acolhe este projeto no bloco de Educação Física, contando com toda infraestrutura necessária para o desenvolvimento das crianças, a dedicação, o carinho e o cuidado que são dedicados ao projeto pelo (reitor) professor mestre Válter Gomes e toda equipe gestora do Uniaraxá. É um grande presente que a Escola de Aplicação recebeu, cujo objetivo principal é motivar o aluno para que ele cresça como cidadão digno e responsável”, destaca Marlene.

De acordo com a professora Ivana Guimarães Lodi, coordenadora do curso de Pedagogia, o Programa Escola Integral nasceu da necessidade de se criar um local onde pudessem ser aplicadas técnicas de aprendizado. Como a Escola de Aplicação já funcionava no (campus do) Uniaraxá, foi possível a realização deste projeto no ambiente acadêmico, que favoreceu essa parceria.

Professora Ivana Guimarães Lodi

“A Escola em Tempo Integral está superando todas as expectativas. Algumas mudanças serão feitas no próximo ano para possibilitar a melhoria do ensino” afirma Ivana, para quem os benefícios da Escola de Tempo Integral são grandes, pois visam à otimização do aprendizado, proporcionando ainda a prática da cidadania e a inclusão social.

“O espaço universitário existe para ser parte integrante da comunidade, desenvolvendo a prática educacional aliada à cidadania, capacitando as crianças para o exercício dos valores institucionais, visando ao seu desenvolvimento humano e criativo”, ressalta.

Pais e alunos aprovam

Os pais, de um modo geral, gostaram do novo programa adotado na Escola Municipal Lélia Guimarães. Vilma das Graças da Silva, por exemplo, já considera a escola como a sua segunda casa. “Meu filho estudou aqui por seis anos e agora minha filha está aqui também. Os professores são ótimos, muito capacitados. Tenho verdadeira admiração por eles.”

Ana Paula Pereira veio de Alagoas com a filha, que nem sabia ler. “Lá não tem professores tão capacitados como tem aqui. Em pouco tempo minha filha já está lendo e escrevendo”, festeja.

Valdair Marcos Arrudas mantém dois filhos na Escola de Aplicação em tempo integral. Ele e a esposa trabalham fora e têm a garantia de que os filhos estão em boas mãos. Para ele, além do ótimo ensino que os filhos recebem, “a escola é um meio de as crianças saírem das ruas, não irem para o lado errado”.

Valdair Marcos Arrudas e seus dois filhos

Ana Lívia Pereira dos Santos, de 7 anos, diz: “As professoras são muito carinhosas. É ótimo estudar aqui. Gosto do lanche, da educação física, da natação e da informática. Estou muito feliz aqui”.

“Natália Arruda, de 8 anos, diz que melhorou as notas, aprendeu a ler, escrever e a se comportar melhor. Natação, ginástica artística, informática e educação física são as atividades de que ela mais gosta, além do lanche.

Já Vitória Cristina Murce de Castro, de 7 anos, prefere praticar handball e futebol no contraturno.

A professora da Escola de Aplicação, Alzimar Dalfior, atesta que não só os alunos e os pais aprovaram o Programa Escola Integral, mas também os docentes, porque o rendimento em sala melhorou muito e os alunos já levam as tarefas prontas, orientados por especialistas em cada disciplina.

Notícias relacionadas