Unisênior abre 2011 com reflexão e alegria

Unisênior abre 2011 com reflexão e alegria

A Unisênior (Universidade Aberta à Maturidade) abriu sua temporada de atividades de 2011 com reflexão e muita alegria.

O evento oficial de abertura das atividades foi aberto com “as boas vindas” da professora Maria Bethânia, a nova coordenadora da Unisênior do Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá), deixando bem clara a sua proposta do projeto  – “um olhar renovado sobre o mundo” e uma oportunidade de redescobrir as coisas boas da vida.

Depois da recepção aos convidados, feita pela coordenadora da Unisênior, foi apresentado o vídeo institucional em que o Uniaraxá é mostrado em suas mais diversas faces, em vista de dar informações aos presentes.

Mas foram as palavras do reitor professor Válter Gomes que deram a ideia da dimensão que tem a Unisênior dentro do Uniaraxá e do que ela representa para a cidade. Em especial, o reitor lembrou a história desse projeto na instituição e de quantas pessoas já passaram por ele e do bem que a Unisênior já fez para centenas de pessoas desde sua criação.

Não faltaram citações sobre o Coral do Uniaraxá, formado pelos alunos da Unisênior, e do trabalho de extensão que os grupos fizeram e continuam fazendo depois de deixarem a instituição. E terminou incentivando a todos os presentes a participarem da Unisênior da melhor forma possível a fim de tirarem o melhor proveito das atividades programadas.

Especificamente, falando sobre o sentido e sobre o papel da Unisênior, foi lembrado que ela é uma oportunidade para as pessoas olharem com menos ilusões e aceitarem com menos sofrimento; entenderemcom mais tranquilidade e quererem com mais doçura, em se tratando da idade que vai chegando para cada pessoa.

Nesse sentido, é bom lembrar que o número de pessoas idosas está crescendo e que a idade não é empecilho para as pessoas produzirem e para serem felizes. Pelo contrário, é o tempo da reflexão e da produção pelo conhecimento acumulado ao longo da experiência de vida e tempo em que se pode experimentar os frutos da participação na construção da própria vida.

Ficou claro que a Unisênior não é um espaço para quem não quer fazer mais nada na vida, pelo contrário, ela é o espaço para as pessoas com idade superior a 40 anos realizarem projetos de vida que não tiveram oportunidade de levar a efeito em outros tempos. “Uma oportunidade de desenvolver uma forma feliz de olhar o mundo e as pessoas com as quais convivemos e redescobrir o prazer de viver”, conforme consta do objetivo das atividades da Unisênior.  Trata-se de uma grande oportunidade de relacionamento melhor e maior com a sociedade de que fazemos parte, através da busca do conhecimento e da interação em ações comunitárias.

Fazendo um relacionamento do tempo de vida com a experiência acumulada por cada um de nós ao longo do tempo, foi lembrada uma frase atribuída ao escritor e poeta inglês William Shakespeare: “Um dia você aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiências que se teve e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você comemorou”.

Para dar um tom de aula ao evento e para convidar os presentes a uma reflexão, o professor doutor Luciano Marcos Curi desenvolveu uma curta aula em termos de tempo gasto, para apresentar um largo e longo tema para a reflexão de todos. Naturalmente, uma aula que não deve terminar nunca, pois ele falou aos presentes sobre “Pensamento e filosofia no século XXI”.

Na verdade, ele pôde convidar os presentes a colocarem em prática o ato de filosofar, de pensar, e de fazer com que nossas ideias e nossos pensamentos possam resultar em benefício para todos no tempo presente e no futuro.

Pois só o pensamento e a filosofia colocados em prática podem resolver os graves problemas que teremos que enfrentar neste século XXI, cheio de incompreensões, de guerras e da ganância material, que prejudica e destrói o melhor das relações entre as Curi iniciou uma aula que terá continuidade em seus encontros com os alunos da Unisênior e nos encontros que os próprios alunos terão semanalmente no Uniaraxá, pois se trata de novas tomadas de decisão que cada m tem que fazer diariamente.

Criando um clima todo especial para o evento, estava presente o Grupo de Dança do Projeto Afrid (Atividades Físicas e Recreativas para a Terceira Idade), da Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Este grupo foi criado em 1995 e oferece uma série de modalidades de danças, entre elas, a dança livre.

Dois números de dança livre foram apresentados nessa abertura das atividades da Unisênior em 2011: “Seus olhos” e “O som da minha terra”.

Seus olhos é uma coreografia que remete a uma das civilizações mais antigas da história, uma culturamarcada pela religiosidade e os mistérios, que envolvem e encantam a mulher, um ser cheio de segredos e sensualidades desvendados através do olhar do outro (seus olhos) e dos movimentos. Já o som da minha terra é uma coreografia tipicamente brasileira, pois explora os vários sons das diferentes culturas presentes na formação do povo brasileiro e sintetiza uma peça cênica e musical a partir do ritmo que é a cara do Brasil, o samba – o som da minha terra.

Durante este evento dois momentos de homenagem: um com a entrega de flores às bailarinas do Afrid; o outro com entrega de flores e os agradecimentos do Uniaraxá, na pessoa do reitor professor Válter Gomes, à professora Olga Rios, pelos serviços prestados à instituição na criação e condução da Unisênior nesses seus primeiros anos de existência.

Notícias relacionadas