“Vazio Coração” começa a ser filmado em maio

“Vazio Coração” começa a ser filmado em maio

Da Redação/Raphael Rios – Começa a ser rodado em Araxá, a partir da segunda quinzena de maio, o longa-metragem “Vazio Coração”. O filme é um drama psicológico que narra de forma comovente a luta de um filho para reconquistar a confiança do pai. A produtora executiva Débora Torres e o roteirista e diretor Alberto Araújo estão em Araxá e já cuidam de detalhes para a gravações na cidade, que vão representar cerca de 80% do longa.

Alberto Araújo conheceu Araxá quando era adolescente e, desde então, tem uma ligação muito forte com a cidade. O roteirista é natural de Patrocínio, e mesmo morando muito tempo fora de Minas Gerais mantém o encanto pela região.

O diretor já rodou o curta-metragem “Minha Senhora Solidão” no período em que o Grande Hotel esteve fechado. “Mesmo com todas as dificuldades de quem estava iniciando no cinema, o curta foi premiado no Festival Latino Americano de Cinema, em Florianópolis, agraciado como melhor roteiro, melhor ator, que na época eu mesmo fiz por falta de verba (risos), e melhor fotografia”, diz.

A partir daí, Alberto Araújo sonhou em fazer um longa-metragem na cidade, o que vai se concretizar com o filme “Vazio Coração”. Este é o primeiro longa do roteirista aprovado pela Agência Nacional do Cinema (Ancine).

“Escrevi uma história sabendo e conhecendo cada canto deste hotel, da cidade, desde os doces de Dona Joaninha, a Árvore dos Enforcados, Museu Dona Beja e todas as potencialidades. O Brasil ainda não entendeu e assimilou a grandiosidade da estrutura do hotel, do charme de Araxá e da receptividade deste povo”, afirma.   

Segundo Alberto Araújo, serão 60 dias para a produção do filme. “Essa parte termina no final de junho. A partir daí, temos que fazer toda a trilha sonora do filme e a edição”, destaca. Ainda segundo o diretor, a intenção dele e do prefeito Jeová Moreira da Costa é que a festa de lançamento aconteça nas inaugurações das obras de revitalização do Centro e do teatro, previstos para em dezembro deste ano.

“Estendendo a programação, Araxá vai assistir o filme em primeira mão com projeções no cinema do Grande Hotel e da cidade, dentro de uma semana de entrevistas e lançamentos”, afirma.

Produção

A produtora executiva do longa, Débora Torres, diz que teve um apoio muito grande administração municipal e do diretor do Grupo Tauá (que atualmente administra o Grande Hotel), João Pinto Ribeiro, desde a apresentação do projeto.

“Entramos em contato com o prefeito Jeová Moreira, que é uma pessoa de ampla visão cultural e ele nos apresentou para a secretária de Turismo, Alda Sandra. Eles viram no filme uma grande oportunidade de divulgarem o turismo na cidade. Temos uma bela história e a cidade inteira será cenário porque, além do Grande Hote,l vão aparecer postos de combustíveis, o Hotel Rádio, o Centro da cidade, o Horizonte Perdido, enfim, todo o contexto social da cidade será mostrado.”

Débora Torres destaca que espera contar com a população. “As pessoas poderão participar como figurantes, elenco de apoio, cenas com falas, pessoas que vão contracenar com Murilo Rosa, então será um envolvimento muito grande na cidade”, conta.

De acordo com a produtora, uma diretora de elenco fará uma seleção próximo ao período de filmagens na cidade. Os longa começa por Lisboa, em Portugal, e também tem gravações em Goiânia e Jataí, no Estado de Goiás.

Elenco

A obra terá em seu elenco, Murilo Rosa, Eva Wilma, Othon Bastos, dentre outros grandes artistas brasileiros.

O filme

O longa-metragem, com 90 minutos de duração, conta a história de Hugo Kari, um cantor brasileiro de renome nacional que resolve fazer uma pausa em sua atribulada agenda para se encontrar com o pai, o embaixador Mário Menezes, no hotel onde a família costumava passar férias.

Ali, naquele ambiente bucólico, de boas recordações para ambos, pai e filho tentam colar os cacos de uma relação quebrada por desencontros de sonhos e ideias, e por uma tragédia que os marcou para sempre. “Vazio Coração” é uma reflexão sobre os laços de família.

Editoria de Cultura do Diário de Araxá

Notícias relacionadas