Vigilância Sanitária interdita atendimento de saúde bucal na Unisul

Vigilância Sanitária interdita atendimento de saúde bucal na Unisul

Da Redação – 04/02/2011 – A Vigilância Sanitária Regional interditou o atendimento de saúde bucal na Unidade de Saúde Sul (Unisul) de Araxá. O local está em situação precária devido às frequentes chuvas e o longo período sem reformas. Construída no primeiro governo do prefeito Jeová Moreira da Costa (1993/1996), a unidade está com inúmeras goteiras, problemas na rede de esgoto, equipamentos velhos e estragados, janelas quebradas, dentre outros. A notificação aconteceu nesta sexta-feira (4), e os tratamentos odontológicos foram suspensos temporariamente.

O secretário municipal de Saúde, Antônio Marcos Belo, diz que não tinha conhecimento da situação precária do setor de saúde bucal. “Essa interdição surpreendeu porque temos ótimos profissionais de saúde bucal e eles não passaram esse problema para a secretaria. Mas de qualquer forma, esse é o papel da vigilância, a fiscalização, notificação e orientação para que os problemas sejam solucionados. Agora, vamos realizar uma reforma imediata no consultório odontológico para retomarmos o atendimento que tivemos que suspender temporariamente.”

De acordo com o secretário, a vigilância também fez uma orientação para transferir o atendimento de pequenas cirurgias que também eram realizadas na unidade. “Fazíamos a retirada de verrugas, pintas, manchas, correções de cicatrizes (no caso de queloides) e, dependendo do caso, câncer de pele. Os profissionais que realizavam o atendimento de pequenas cirurgias e os de saúde bucal foram transferidos para a Uninorte e também para o atendimento no Presídio Regional de Araxá. Infelizmente, os pacientes vão ficar momentaneamente prejudicados, mas já estamos agilizando a reforma do local”, garante Antônio Belo.

Segundo ele, cerca de cerca de 40 pessoas estavam sendo atendidas semanalmente nos consultórios odontológicos. “Tínhamos dois consultórios e cada um atendia uma media de quatro pessoas por dia. Agora, essas pessoas podem transferir seus atendimentos para a Unileste ou Uninorte. Já as cirurgias aconteciam de acordo com a demanda, e quando existir a necessidade vamos encaminhar para o Pronto Atendimento Municipal (PAM). A vigilância vai encaminhar um relatório nos próximos dias com as orientações e o prazo que temos para realizar a reforma”, explica.

“Mas vamos agilizar o máximo possível essas adequações. Toda a Unisul precisa de reforma, pois já são mais de 10 anos de construção e nunca houve qualquer reparo, mas para atender essa demanda pontual vamos fazer uma reforma rápida enquanto as licitações para a reforma de toda a unidade não seja finalizada”, diz o secretário.

Uninorte

Antônio Belo afirma que os problemas das unidades de saúde precisam ser solucionados imediatamente. “Em 2009, nós reformamos a Unileste completamente e a Unisa parcialmente. Agora, precisamos resolver esse sério problema de manutenção no Uninorte e Unisul. Desde que foram construídas, elas não passaram por nenhum reparo. Os principais problemas são o telhado que está com muito vazamento e tem que ser substituído, a rede de esgoto que tem gerado refluxo para dentro da unidade em período chuvoso e equipamentos como pia, vaso sanitário e portas”, diz.

“Uma série de ações tem que ser realizadas e já comunicamos o prefeito Jeová sobre a urgente necessidade dessas reformas”, acrescenta.

De acordo com ele, a reforma de cada unidade terá um investimento de cerca de R$ 150 mil. “Nas unidades de saúde que reformamos gastamos R$ 147 mil, mas acreditamos que a Uninorte vai ficar um pouco mais caro, já que também vamos realizar a manutenção das casas que recebemos da Polícia Militar (PM), onde será implantado um dos PSFs que queremos implantar e a Farmácia Satélite (núcleos farmacêuticos distribuídos em locais específicos para garantir maior rapidez na entrega de medicamentos para os pacientes) que será implantada até abril próximo.”

Unioeste

Segundo Antônio Belo, a expectativa é que a nova Unidade de Saúde Oeste, no bairro São Domingos, seja inaugurada em abril próximo. “A Unioeste será a unidade mais moderna que teremos na cidade. Por isso temos que reestruturar as outras unidades para que o atendimento não fique defasado. Essas reformas serão imprescindíveis, inclusive para preservação do patrimônio público, e as obras vão começar o mais rápido possível, assim que as chuvas pararem e a verba que solicitamos no governo do Estado for liberada. Paralelamente, estamos providenciando as licitações para aquisição de equipamentos e funcionários para iniciar as atividades, assim que a obra for finalizada”, destaca.

Ele acrescenta que cerca de 1.7 mil pessoas devem ser atendidas mensalmente na Unioeste. “Na Uninorte e na Unisa atendemos uma média de 2,6 mil pessoas por mês e na Unisul e Unileste cerca de 1,7 mil. A expectativa inicial é que a Unioste tenha uma média semelhante as unidades das regiões Sul e Leste da cidade.”

Notícias relacionadas