Instituto araxaense lança campanha para arrecadar cestas básicas, materiais de limpeza e higiene

Instituto araxaense lança campanha para arrecadar cestas básicas, materiais de limpeza e higiene

Com o intuito de contribuir no combate aos efeitos que a pandemia do novo Corona vírus (Covid-19) está provocando, o Instituto Consciência & Ação lançou uma campanha para arrecadar cestas básicas, de alimentos e de materiais de limpeza e de higiene, que serão destinadas a pessoas em vulnerabilidade social do município de sua área de atuação – Araxá/MG, como forma de auxílio durante este período.

As pessoas que serão beneficiadas pela campanha são preferencialmente as famílias chefiadas por trabalhadoras informais, como as diaristas, trabalhadoras domésticas, que fazem parte do cadastro social elaborado por entidade filantrópica do município, pelo S.O.S., neste período de pandemia.

Elas estão trabalhando menos, neste período, ou estão impossibilitadas de trabalhar, e possuem filhos para alimentar. Maioria em trabalhos informais, mulheres perdem renda e ainda não têm acesso ao benefício anunciado pelo governo, ou seja, estão sem estabilidade, sem possibilidade de trabalhar de casa, sem direitos trabalhistas e sem auxílio do governo.

A presidente do Instituto, Dra. Sandra Afonso de Castro, advogada e mestre em Educação, explicou que a campanha surgiu da preocupação com o momento que todo o mundo está passando devido à pandemia do Covid-19. “Além de termos a preocupação com a comunidade, de um modo geral, o IC&A se sentiu no dever de, dentro das suas possibilidades, promover uma campanha que leve o mínimo de alento às famílias dessas mulheres que foram impactadas por essa crise. Pessoas estão perdendo empregos, ou não podem trabalhar agora, e precisam se alimentar. Esperamos ter sucesso nesta campanha e que, pelo menos por um período, possamos entregar cestas básicas, que as pessoas possam doar, para amenizar o sofrimento das mais vulneráveis socialmente”.

Este projeto tenta amenizar a vida dessas pessoas e suas famílias, que estão passando por dificuldade diante da crise provocada pela pandemia, para que tenham condições de sobreviver e de permanecer em casa. Elas precisam ter comida e condições higiênicas para se prevenirem. Dizem que aqui no Brasil, neste período, a pessoa pode morrer da doença ou morrer de fome. Vamos mostrar que aqui ninguém vai morrer de fome”. 

Questão de raça e de gênero – O trabalho informal é uma questão de raça e de gênero no Brasil: 47,8% das mulheres negras têm trabalho informal, segundo a Síntese de Indicadores Sociais do IBGE. “O recorte adicional por sexo nas atividades econômicas revela que a participação das mulheres no trabalho informal é superior à dos homens para a maior parte dos grupos de atividade econômica”, concluem os autores da pesquisa, que faz uma análise das condições de vida dos brasileiros.

Mulheres de forma geral são também maioria entre os desocupados (sem trabalho, formal ou informal): a taxa de desocupação entre homens é de 9,2%, enquanto a de mulheres é de 13,1%, segundo a PNAD Contínua, do IBGE.

Elas são também a maioria em profissões de serviço que são diretamente afetadas pelo isolamento social: trabalhadoras domésticas (categoria em que 73% não têm carteira assinada, segundo o IBGE), manicures, massagistas, ambulantes, trabalhadoras sexuais, entre outras. 

O maior medo das mulheres, chefes de família, é faltar comida para os filhos, seguido do receio de não conseguir pagar o aluguel e ser despejada. “Neste momento, a gente vai ter que tomar conta das outras pessoas. É preciso que as pessoas tenham atitudes solidárias, que se forme uma corrente solidária em nossa cidade, no Brasil, para diminuir o impacto econômico na vida dessas mulheres. Que a família que tem condições adote uma família que precisa. Essa é a premissa do projeto”, afirma a presidente do Instituto Consciência & Ação.

Saiba como participar – Nesta ação solidária, as pessoas (físicas ou jurídicas) podem doar as cestas, ou valores em dinheiro que serão revertidos na sua aquisição.

  • Você pode, mensalmente, doar uma cesta básica, de alimentos ou de material de limpeza e de higiene pessoal, durante o período da pandemia, adotando uma família em Araxá, entregando-a na sede do Instituto Consciência & Ação, agora à Rua Uberaba 61, Centro, em Araxá/MG, ou na ACIA, à Av. Getúlio Vargas 365, em horário comercial.

OU

  • Como as pessoas estão evitando sair de casa, por recomendação das autoridades, você pode contribuir, mensalmente, por transferência bancária – Banco SICOOB, nº 756, Agência 3094, conta 31.291-6, CNPJ 23.478.333/0001-26. O dinheiro será utilizado para compra de cestas.

Há uma máxima segundo a qual momentos de crise são também de oportunidade. A hora é agora para cada um fazer a sua parte: ficar em casa e não perder a oportunidade de ser solidário.

Existem muitas famílias, na nossa cidade, vivendo em condições de pobreza que não permitem que elas mantenham as condições de higiene e saúde necessárias para não contraírem o vírus e muito menos para não o espalharem para outras pessoas.

O coronavírus deve ajudar a fazer emergir o melhor de nós, segundo o Papa Francisco. Sim, a humanidade. Devemos viver em solidariedade como uma única comunidade humana, abrir nossos corações numa fraternidade global de espírito. O Covid-19 nos demonstra o quanto somos vulneráveis, o quanto precisamos um do outro para combater o inimigo comum, hoje o vírus, e sempre o vírus do egoísmo, o pecado da indiferença, da banalidade do mal, atribuindo valor à pessoa. Deixemos, portanto, que o vírus da solidariedade nos contamine. Solidariedade em Ação – a demonstração do melhor do ser humano ao expressar a preocupação com o outro. Este é o convite do Instituto”, conclui a presidente do IC&A.

Distribuição – A logística para distribuição das cestas básicas está sendo elaborada, e deverá contar com a presença de representantes das duas entidades: do Instituto (IC&A), e do S.O.S.

Prestação de contas – O IC&A e o S.O.S farão o controle das doações e das entregas às famílias que serão identificadas pelo número do seu cadastro junto a este órgão (SOS). O Instituto disponibilizará a prestação de contas ao(à) doador(a), pelo WhatsApp; e à comunidade, em seu site, na página do Facebook, e pela imprensa apoiadora, sem causar constrangimento às famílias contempladas pela campanha.

O(a) doador(a) que quiser obter mais informações sobre a família adotada poderá procurar o SOS, à rua Padre Leão 97, Centro.

Notícias relacionadas

Inscreva-se
Me avise:
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Mostrar todos os comentários
0
Deixe seu comentário para essa notícia!x