ACA é obrigada a devolver R$ 5 mil aos cofres públicos

ACA é obrigada a devolver R$ 5 mil aos cofres públicos

A Associação Carnavalesca de Araxá (ACA) terá que devolver R$ 5.452,74 aos cofres público. Após ser cobrada por diversas vezes pelos vereadores, a entidade apresentou na Câmara Municipal à prestação de contas referente à realização do Carnaval 2010. A prefeitura repassou à associação R$ 250 mil através de convênio de subvenção social para que a tradicional festa fosse promovida este ano.

Com os documentos apresentados pela a ACA, os vereadores detectaram algumas irregularidades como nota vencida e despesas que não poderiam ter sido realizadas com o dinheiro público.

O vereador Mateus Vaz de Resende (DEM) também questionou a compra de fantasias da Escola de Samba Canto da Alvorada, de Belo Horizonte, que gerou um gasto de R$ 9,5 mil. Segundo ele, o regimento da entidade proíbe que as escolas de Araxá utilizem fantasias que já tenham sido usadas em outros desfiles.

Desde o início, o Carnaval 2010 foi marcado por inúmeras confusões. Tumultos e atrasos das escolas durante o desfile, falta de segurança, poucos profissionais para o atendimento médico e baixa qualidade do som foram algumas das reclamações. Inclusive, houve registro de uma ocorrência policial por parte da equipe de seguranças da festa que se queixava das péssimas condições de trabalho.

O presidente do Conselho da Escola de Samba Clube União e representante da ACA, Claiton Ayres, confirma os equívocos cometidos pela associação.

“A ACA fez o Carnaval da melhor forma possível. Os gastos irregulares apontados pelos vereadores foram para custear a alimentação de policiais e dos seguranças que vieram de outras cidades para trabalhar no evento. O gasto com os seguranças nem era de responsabilidade da associação e sim da empresa que contratamos para promover o Carnaval, mas como houve uma ocorrência em relação às condições de trabalho que eles estavam nós assumimos esta responsabilidade. Mas, realmente foi um erro e nós vamos devolver o que foi gasto de forma equivocada, a ACA já está providenciando isso”, garante.

De acordo com ele, a nota vencida foi outro equívoco cometido. “Infelizmente, não prestaram atenção nesta questão e houve um erro que não deveria ter acontecido. A empresa passou a nota sem avisar a associação, mas já providenciamos e solucionamos o problema. Essas coisas acontecem, o Carnaval é realizado há mais de 30 anos e nós temos buscado fazer a festa com toda a transparência que exige o prefeito Jeová Moreira da Costa.”

Segundo Claiton, as fantasias compradas da Escola de Samba Canto da Alvorada foram para uso do Clube União.

“Nós compramos as fantasias prontas, mas é feito todo um trabalho de reestruturação, não fica nada igual. Portanto, não usamos a mesma fantasia, utilizamos apenas a armação que ficaria muito cara se desenvolvida aqui em Araxá. Com R$ 9 mil você veste uma escola de samba reutilizando armações de outras agremiações, se fossemos fabricar completamente essas fantasias gastaríamos cerca de R$ 30 mil, ou seja, inviabilizaria o Carnaval de Araxá”. diz.

“Todas as escolas da cidade fazem isso quando possível, não a outra forma. Nós oferecemos muitos empregos na época do Carnaval, mas ninguém vê isso, só querem ressaltar os erros que eventualmente temos, como acontece em qualquer outro grande evento. Nós temos um Carnaval de Rua diferenciado que é feito para a população araxaense e para os turistas, tudo com uma verba pequena dentro das condições do município”, destaca.

Notícias relacionadas