Manifestantes fazem valer a democracia em Araxá

Manifestantes fazem valer a democracia em Araxá

Manifesto em Araxá - Fotos: Caio Aureliano

DA REDAÇÃO/CAIO AURELIANO – A avenida Antônio Carlos foi palco de manifestação com mais de 3 mil pessoas reivindicando melhorias na saúde, na educação, no transporte e dentre outros setores. Foi uma manifestação que contou com jovens, famílias, idosos, enfim, todos os credos e todas as idades se unindo para se fazer ouvidos pelos governantes locais e nacionais no histórico dia 21 de junho de 2013.

Os participantes deste momento histórico que iniciou em São Paulo e migrou para as cidades do interior já ocupavam a praça da avenida Antônio Carlos desde as 17h, de frente ao calçadão da rua Presidente Olegário Maciel. A cada minuto, o número de manifestantes aumentava e, assim, formou-se uma grande corrente da democracia para um país e uma cidade melhor.

Cartazes e faixas apareciam nas mãos de manifestantes que representasse a angústia de uma nação. A maior revolta deles era com o preço da passagem do transporte público coletivo de Araxá que atualmente está em R$ 2,65.

Um grito “Se a tarifa, não baixar, Araxá vai parar” e uma faixa “Se a tarifa não abaixar, paramos Araxá” demonstraram a indignação do povo com a situação. “A gente quer o nosso direito. A gente quer o passe livre para o estudante, a tarifa baixar, quer que o governo mude e o país mude. Está na hora disso acontecer”, diz a estudante Mariana Carvalho.

“A pouca vergonha é muito grande. Eu acho que nós temos direitos à saúde, à educação a um transporte que não tem que pagar tão caro. O transporte não tem muito conforto para está cobrando esse preço tão caro, não tem justificativa”, argumenta a garçonete Eliana Mara de Paiva Rodrigues.

O estudante Luís Gustavo Fontes comenta que hoje no Brasil existe muita coisa errada que precisa ser mudada. “Hoje existe muita corrupção no nosso país. Em uma cidade como Araxá com o preço praticamente igual ao de São Paulo é um absurdo. O ônibus trafega um terço que um ônibus de São Paulo faz e é o mesmo preço. Um grande absurdo.”

Com seus 65 anos bem vividos, Silas Ferreira, microempresário, também resolveu participar. “É um movimento empolgante porque ele é pacífico. Esse movimento partiu do coração do povo clamando por mudanças”, destaca.

Ao final da passeata, o seu balanço foi, segundo a Polícia Militar, mais de 3 mil manifestantes, em sua maioria, clamando por mudanças. Teve alguns que excederam um pouco depredando lojas e entrando em confronto com a PM, mas, ao final, o saldo foi positivo, pois fez o que o cantor Cazuza sempre pediu em sua música, uma das mais famosas do seu repertório – “Brasil mostra a tua cara”.

Nas redes sociais, já está programado um segundo protesto que será na segunda-feira (24), também a partir das 18h, na avenida Antônio Carlos.

Notícias relacionadas