Araxá começa a desocupar áreas invadidas e presta assistência às famílias retiradas

Araxá começa a desocupar áreas invadidas e presta assistência às famílias retiradas

Das 56 famílias que viviam na área de risco nas ruas Pará e Maria Aparecida de Araújo, no bairro Leblon, às margens do Córrego Grande, restam apenas quatro que já estão em processo de desocupação. Conforme levantamento feito pela Secretaria Municipal de Ação Social, 30 já estão recebendo o Auxílio Moradia, 10 estão na fase de análise documental e 12 desocuparam a área durante o processo de acompanhamento em 2021, sendo que oito retornaram às suas cidades de origem.

O trabalho de desocupação, que também abrange ações de outras secretarias e instituições que constituem o Comitê Integrado de Prevenção e Combate à Invasão de Áreas, foi conferido de perto pelo prefeito Robson Magela. De acordo com ele, o desafio é encontrar uma solução em conformidade com o crescimento sustentável e ordenado no município, e ao mesmo tempo criar projetos voltados para atender temporariamente essa população vulnerável.

“É uma situação que se arrasta há anos na cidade. E nós tivemos esse cuidado de acolher essas famílias carentes e ajudar essas pessoas para que em breve elas possam começar a caminhar com suas próprias pernas. A Secretaria de Ação Social tem feito também a capacitação e qualificação para que essas pessoas possam ser inseridas no mercado de trabalho”, destaca o prefeito que visitou algumas famílias que foram assistidas pela prefeitura.

Morando em Araxá há cerca de 9 anos, a dona de casa Carleane Alexandre Passos acabou ficando desempregada e dividia um pequeno barraco com os outros 3 filhos. “Como saiu o aluguel social, isso já ajudou muita gente. Pelo menos nós saímos de lá. Isso que é importante. Porque ali não é lugar de ninguém morar não”, disse. Hoje, com o Auxílio Moradia, ela aluga uma casa no bairro Salomão Drummond.

A situação não foi diferente para Elisabete da Silva. Mãe de dois filhos, sendo um recém-nascido, após deixar o barraco na área de risco, hoje é beneficiada com programas da Secretaria de Ação Social.

“Essas famílias estão sendo acompanhadas regularmente pelas assistentes sociais do Município. O acompanhamento abrange inscrições em programas sociais, como o Auxílio Moradia e o recebimento de cestas básicas, captação de vagas nas instituições de ensino para os filhos e reinserção no mercado de trabalho”, explica a secretária Municipal de Ação Social, Cristiane Gonçalves Pereira.

Com o fim do processo de desocupação, as áreas que estavam invadidas estão sendo limpas pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos. O secretário Ricardo Alexandre da Silva (Kaká) diz que o plano da gestão atual é canalizar o Córrego Grande até a BR-262, garantindo não só uma revitalização da área, como também um novo acesso à cidade.

“O projeto de canalização e revitalização desse espaço foi apresentado em Brasília este mês pelo prefeito. A intenção é executar a obra por etapas. É um projeto grandioso que vai resolver diversos gargalos, como a questão das enchentes, do trânsito, além de proporcionar o desenvolvimento sustentável da cidade”, diz.

Notícias relacionadas

Inscreva-se
Me avise:
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Mostrar todos os comentários
0
Deixe seu comentário para essa notícia!x