Apab corre novo risco de fechar as portas

Apab corre novo risco de fechar as portas

A Associação dos Pacientes Araxaenses em Barretos (Apab) pede novamente ajuda para não fechar. A instituição que presta atendimento para araxaenses que fazem tratamento de câncer no interior paulista não tem recurso suficiente para pagar as despesas de aluguel do imóvel utilizado para hospedar pacientes e acompanhantes. Em outubro passado, a instituição chegou a anunciar o fim das atividades por falta de apoio financeiro, mas a solidariedade de uma empresa da cidade evitou provisoriamente o fechamento.

A empresa que preferiu não ter o nome divulgado na imprensa doou R$ 3 mil para que a associação pudesse continuar prestando serviço à sociedade. Mas o dinheiro foi suficiente para pagar apenas dois meses de aluguel do imóvel, sendo o contrato de locação encerrado em fevereiro passado. Na tentativa de evitar o fechamento definitivo da Apab, a Câmara Municipal, através do Orçamento Municipal previsto para 2010, definiu um rapasse no valor de R$ 36 mil à associação, porém, até o momento o convênio não foi assinado pelo prefeito Jeová Moreira da Costa.

A Casa de Araxá em Barretos (SP) recebe cerca de 20 pessoas por dia, com um custo anual de aluguel, energia, água, alimentação, higienização, entre outros, de R$ 57 mil, cerca de R$ 4.750 por mês. Desde do governo Jeová, a administração municipal cortou o pagamento do aluguel do imóvel de R$ 1,5 mil por mês e a instituição vem enfrentando dificuldades. O prefeito não renovou o convênio com a Apab alegando que um serviço com mais qualidade foi contratado. A prefeitura contratou a Pousada Rosa Amiga em Barretos para prestar o mesmo atendimento.

A presidente da Apab, Marta de Souza Alvim, diz que a Casa de Apoio em Barretos pode mesmo ser fechada. “Não temos mais condições de manter a casa, não sabemos como vamos pagar o aluguel a partir deste mês. A ajuda do empresário foi suficiente para manter a associação aberta até fevereiro, mas agora não tem mais jeito. Se não tivermos uma ajuda financeira ou alguma doação de empresário nós teremos que encerrar as atividades e deixar de atender quase 500 pessoas por mês. Nós estamos tentando ajuda das empresas, enviamos ofício, tudo certinho, mas eles alegam que a prefeitura tem uma pousada em Barretos e a ajuda não é mais necessária.”

De acordo com ela, a Apab é uma entidade filantrópica e sobrevive de doações. “Eu insisto em manter a associação aberta por causa dos nossos pacientes. Eles pedem para ficar na casa porque sabem que na Apab eles têm prioridade. Na associação os pacientes têm toda a liberdade, não têm um horário definido para alimentação ou banho. Devido esses pedidos insistentes nós estamos lutando para manter a Apab aberta”, afirma Marta.

Segundo ela, só um milagre pode impedir o fechamento da Apab. “A casa é higienizada de 15 em 15 dias pela Vigilância Sanitária, cinco refeições diárias, portanto, oferecemos tudo que estava ao nosso alcance. Nosso trabalho só poderá continuar se encontrarmos uma pessoa que tenha condição de nos ajudar no aluguel do imóvel. Muitos colaboram para a manutenção da casa, mas sem o aluguel do imóvel não temos condições de manter a Apab aberta”, diz a presidente.

Serviço

A Apab fica na rua Alberto Radespiel, 15, bairro Mangueira II. O telefone para contato é 3662-1470 e a conta para quem puder contribuir através de depósito é na conta 2397-3, agência 3094 – Sicoob Crediara.

Notícias relacionadas