Prefeitura de Araxá mantém Parque do Cristo aberto

Prefeitura de Araxá mantém Parque do Cristo aberto

A Prefeitura de Araxá acatou a recomendação da Justiça, por meio da portaria 001/2014, que tratava do fechamento do Parque do Cristo ou que o espaço fosse mantido aberto, desde que estivesse segurança no local capaz de impedir eventos sem a autorização governamental. Segundo a portaria, o ponto turístico estava sendo usado por jovens, inclusive menores de idade, para a realização de encontros e uso de drogas e bebidas alcoólicas. De acordo com o secretário de Segurança Pública, Mauro da Silveira Chaves, no início da noite desta quarta-feira (12), três vigilantes, por turno, vão se revezar na segurança do Parque que também contará com rondas da Polícia Militar.    

“Nós iremos acatar a recomendação da Justiça de Araxá que nos deu duas opções; manter o local com segurança para que os eventos ocorram no local sem nenhum cometimento de atos ilícitos ou que feche, caso a gente não consiga dar esse suporte” comenta.  

“A Secretaria de Segurança Pública tem se estruturado e nós temos trazido um reforço, significativo, na área de segurança patrimonial. A partir de hoje (12), de forma continuada e integral, ou seja, durante as 24 horas do dia, nós estaremos designando para aquele local, pelo ao menos três vigilantes patrimoniais” afirma.  

Mauro acrescenta que se houver riscos aos vigilantes, não haverá outra alternativa a não ser fechar o Parque do Cristo. “Mas tenho certeza de que pela nossa conversa e o apoio da Polícia Militar, eu acho que dá para mantermos o local aberto trazendo segurança para aquele espaço”, diz.

O secretário destaca que o auxilio da PM será feito, principalmente, no período noturno. “A PM não tem condição de deslocar policiais para ficarem o tempo integral no espaço, mas fazendo rondas já trará mais segurança tanto para os servidores quanto para a população”.

De acordo com Mauro, além de trazer mais segurança, o objetivo da ação é coibir qualquer tipo de criminalidade seja o consumo de drogas, o abuso sexual ou as festas organizadas em redes sociais, onde boa parte do público presente é menor de idade.  

Notícias relacionadas