Super banner
Super banner

Aterro Sanitário é implantado oficialmente em Araxá

A solenidade de inauguração do aterro sanitário de Araxá foi realizada pela prefeitura nesta quinta-feira (5), às 9h30, dentro das comemorações do Dia Mundial do Meio. O local é usado para a disposição de resíduos sólidos (lixo domiciliar) produzidos pela comunidade. O investimento das obras ficou em torno de R$ 4,5 milhões, numa parceria público-privada entre a prefeitura (R$ 500 mil), governo federal (R$ 1 milhão) e Bunge Fertilizantes (R$ 3 milhões).

O aterro está situado na BR-146 (trecho Araxá/Patos de Minas), cerca de 6 quilômetros do entroncamento com a BR-262. O local recebe todo o lixo gerado na cidade e é tratado de maneira ecologicamente correta, sem causar danos ao meio ambiente. Além de servir como depósito de detritos, o espaço físico possui sistema de drenagem especial, direcionando todo o líquido do lixo em decomposição (conhecido como “chorume”) para as piscinas anaeróbicas (de tratamento), evitando, assim, contaminações.

Existe ainda o sistema de “chaminés” que direciona para a superfície os gases gerados pela decomposição do lixo, e não causa não causa danos à atmosfera e nem mau cheiro.

Para que o início de sua operação, o aterro teve a licença ambiental definitiva aprovada recentemente pelo Conselho Estadual de Política Ambiental do Estado de Minas Gerais (Copam). “Depois de uma longa e difícil tarefa de conseguir implantar e ter todo o sistema adequado do aterro sanitário, a população poder desfrutar de uma disposição final adequada para os resíduos sólidos. É uma grande vitória para a região”, destaca Helder Naves Torres, chefe da Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Supram).

Parceria público-privada

Para Ricardo Manuel de Oliveira, gerente de Meio Ambiente da Bunge Fertilizantes, a parceria público-privada com a prefeitura demonstra que a empresa está presente em Araxá, atuando com sustentabilidade junto à comunidade. “Considero fundamental a participação da Bunge nessa parceria que coloca Araxá no hall de poucas que têm um aterro sanitário licenciado.”

Trabalho digno

A criação do aterro sanitário proporcionou aos antigos catadores do extinto lixão um trabalho digno. Antes, trabalhavam de maneira precária em busca de materiais recicláveis misturados com o lixo orgânico. Eles foram integrados à Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Araxá (Reciclara) e fazem todo o estágio de processamento para venderem os materiais recicláveis. “É uma coisa muito boa, a gente sente muito orgulho. Antigamente, a gente não trabalhava, não vivia, vegetava”, afirma Reílda Maria, presidente da Reciclara

Coleta seletiva

Confira a entrevista do prefeito Antônio Leonardo sobre a importância da comunidade participar da coleta seletiva de lixo.

Notícias relacionadas