Super banner
Super banner

Curso de Formação Musical em Araxá pode se tornar modelo nacional

Curso de Formação Musical em Araxá pode se tornar modelo nacional

Primeira turma do curso técnico de Formação Musical - Divulgação/PMA

O curso técnico de Formação Musical da Escola Municipal de Música Maestro Elias Porfírio de Azevedo pode ser tornar modelo para escolas do país todo. Esta é a expectativa da diretora Débora Afonso Arantes Francisco, idealizadora do curso que formou sua primeira turma na semana passada.

O curso técnico surgiu para atender a demanda por professores com formação musical que deve surgir nas escolas de educação básica, devido à obrigatoriedade da inclusão da Educação Musical na grade curricular, a partir de 2012, conforme a lei nº 11.769, de 18 de agosto de 2008.

Pensando nisso, quando a assumiu a direção da Escola de Música em 2009, Débora elaborou o curso com uma equipe pedagógica. “Nessa época eu já havia despertado para o fato de que tínhamos que tomar uma providência em Araxá. Eu sabia que aqui a gente não teria mão de obra para atender essa demanda, e isso acontece no Brasil inteiro.”

O projeto do curso técnico foi aprovado pelo Conselho Estadual de Educação e agora aguarda o parecer do Ministério da Educação. De acordo com a diretora, este é um curso experimental e a partir da aprovação do MEC outras escolas do país podem se beneficiar da experiência.

“Nós temos expectativa de que este seja um curso modelo porque foi muito bem elaborado, muito bem sedimentado. Já recebemos visitas de outras escolas e a Superintendência de Regional de Ensino sinalizou que o curso foi muito bem aceito no Conselho Estadual de Educação. Não foi um curso que a gente pegou o modelo pronto. Se for aprovado no MEC, ele será considerado o primeiro curso técnico em Educação Musical do Brasil”, conta Débora.

O curso técnico tem duração de três anos, com carga horária total de 800 horas. Para participar, segundo a diretora, não é preciso ser músico. “O foco não é o instrumento. O aluno que entra ali chega sem saber nada de música, mas vai sair sabendo tudo. No entanto, ele não vai sair um técnico em instrumento, porque isso requer muitos anos de estudo. Ele vai ter uma noção de violão, que é um instrumento mais tranquilo para acompanhar os alunos, e de flauta doce.”

Na grade curricular estão incluídas aulas práticas, harmonia, teoria e estágio de um ano. Além disso, os alunos são incentivados a ingressar nos cursos de instrumento da escola.

A inclusão da Educação Musical como conteúdo obrigatório nas escolas vai além da formação de músicos profissionais. “A gente percebe na prática que a música ajuda no desenvolvimento do ser humano em todos os sentidos, cognitivo, racional e emocional. Dependendo da forma como for exigido, esse ensino vai fazer toda a diferença na educação do Brasil,” declara a diretora.

Formatura

Os sete alunos da primeira turma do curso técnico em Formação Musical se formaram nesta sexta-feira (9), junto com quarta turma do curso técnico de Teclado. A cerimônia foi promovida no Museu Calmon Barreto.

Notícias relacionadas