Super banner
Super banner

FCA explica critério de distribuição das bolsas do Uniaraxá

FCA explica critério de distribuição das bolsas do Uniaraxá

A grande demanda por bolsas de estudo no Centro Universitário de Araxá (Uniaraxá) não consegue atender a todos os alunos que se cadastraram para adquirir o benefício.

Neste ano, o Uniaraxá matriculou 2.756 estudantes (veteranos e novatos) e 113 deles foram contemplados com 40% de desconto na mensalidade durante seis meses (prorrogáveis por mais seis meses).

Para esclarecer sobre os critérios de seleção dos alunos beneficiados, o diretor Pedagógico, José Gino Borges, explica que a Fundação Cultural de Araxá (FCA) é obrigada por lei a conceder bolsas de estudos para 4% dos alunos matriculados no início do ano, previsto no estatuto da entidade. Ao final de cada ano, uma nova avaliação é feita.

Ele diz que mais de 350 estudantes se cadastraram no site do Uniaraxá no final do ano passado para concorrer ao benefício em 2009.

“Após o encerramento do cadastro, é realizada uma entrevista pessoal com cada um, onde é verificado documentação e nível de carência. A fórmula de escolha contempla os mais carentes, ou seja, pessoas desempregadas, deficientes físicos, alunos de escola pública e as que têm renda menor que três salários mínimos.”

Além disso, José Gino diz que a FCA lançou financiamento próprio para os alunos que não conseguiram adquirir as bolsas de estudo.

“Esse programa de financiamento contemplou inicialmente 50 alunos, um sistema parecido com o Fies (Programa de Financiamento Estudantil – governo Federal), onde a FCA paga 50% do valor da mensalidade. Depois de seis meses de formado, o aluno começa a pagar o financiamento, com 6% de juros ao ano. Mesmo assim, não conseguimos beneficiar todos que precisam”, explica.

O diretor Pedagógico acrescenta que a FCA está buscando apoio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) para diminuir o valor da mensalidade. “Nada mais justo porque eles ganham pela exploração das mineradoras de Araxá e podem nos apoiar para que o valor da mensalidade seja menor.”

Ele acrescenta que muitos políticos pressionam a FCA para aumentar o número de benefícios. “Não temos condição de oferecer mais bolsas. Se isso acontecer, o aluno que paga integral será prejudicado, pois haveria um reajuste maior nas mensalidades. O que desejamos é que os políticos contribuam com a FCA para fechar parcerias e beneficiar a população de uma maneira geral e não casos isolados.”

Convênios e conselheiros

Além do desconto de 40% e financiamento das mensalidades, o Uniaraxá mantém convênio com a Associação dos Municípios da Microrregião do Planalto de Araxá (Ampla) e mais 15 instituições parceiras do centro universitário, dentre elas, Polícia Militar, Casa do Caminho e Correios, sendo dez bolsas para cada. O critério de seleção fica a cargo da empresa conveniada.

Os estudantes dos 23 municípios associados à Ampla contam com 30% de desconto no valor da mensalidade, sendo 20% pelo Uniaraxá e 10% pelas prefeituras. Já os 13 conselheiros contam com uma bolsa integral (100%) que pode ser divida da maneira que cada um achar melhor.

“Os estudantes dos municípios da Ampla contam com um desconto justo já que têm disponibilidade de horários além de gastos com transporte e alimentação, que são menores do que os estudantes de Araxá. Já os conselheiros não ganham nada para trabalhar na FCA. Não é uma remuneração, é uma forma de incentivar o trabalho do conselheiro”, diz José Gino.

Notícias relacionadas