Super banner
Super banner

Minas cresce mais em empregos do que a média nacional

Minas Gerais fechou o primeiro semestre como o segundo Estado na geração absoluta de empregos e o terceiro no ranking dos que mais criaram proporcionalmente ao número de vagas existentes no fim do ano passado. Segundo levantamento mensal do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, de janeiro a junho foram criadas 218.490 vagas de trabalho nas 100 cidades pesquisadas no Estado, crescimento de 7,01%, contra a média nacional de 4,7%.

Nenhum setor da economia mineira teve saldo negativo no semestre. Entre as cidades, os destaques foram Monte Carmelo, no Alto Paranaíba, Três Pontas, no Sul de Minas, e Nanuque, no Vale do Jequitinhonha.

“Tivemos um crescimento generalizado nos setores econômicos e nas diferentes regiões de Minas. O crescimento do número de empregos formais é sempre um fator animador para quem trabalha pelo desenvolvimento do Estado, já que esses novos postos significam mais dinheiro em circulação e melhores condições de vida para milhares de mineiros”, destaca o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Raphael Guimarães Andrade.

Proporcionalmente, o setor que mais gerou mais empregos foi a agricultura, com crescimento de 28,34%, em relação ao número de postos existentes no setor no final de 2007. Outros setores que registraram expansão de duas casas decimais foram a construção civil (13,82%) e as indústrias de calçados (11,77%) e de alimentos e bebidas (11,6%).

Outros setores como a administração pública (9%), a indústria de material de transporte (7,36%) e ensino (7,10%) tiveram desempenho melhor do que a média mineira do semestre. Apenas o comércio varejista teve resultado abaixo de 1% de crescimento, registrando 0,95% no semestre.

Em números absolutos, os destaques foram as atividades agrícolas, com 78,7 mil empregos, seguido do setor de serviços (49,3 mil), da indústria de transformação (42,9 mil) e da construção civil (31,3 mil).

Notícias relacionadas