Super banner
Super banner

Prefeito dá o pontapé inicial para a construção do novo estádio

Prefeito dá o pontapé inicial para a construção do novo estádio

O projeto do Executivo que estabelece a troca da área central que compreende o Estádio Municipal Fausto Alvim, o Centro Esportivo Álvaro Maneira (antigo ATC) e a quadra da Associação dos Servidores Públicos da Prefeitura e da Câmara Municipal de Araxá (Aserpa) com a área do Grupo Kamel próxima ao aeroporto será enviado na próxima semana para apreciação da Câmara Municipal, segundo o prefeito Jeová Moreira da Costa.

A proposta do prefeito seria implantar um novo estádio com capacidade entre 15 e 20 mil pessoas (arena olímpica) e um autódromo no setor periférico e, em contrapartida, o Grupo Kamel construiria um shopping na área central, avaliada, de acordo com Jeová, em cerca de R$ 9 milhões por três corretoras locais. Ele acrescenta que a construção dos dois novos empreendimentos (estádio e autódromo) teria um investimento total de R$ 40 milhões.

De acordo com o prefeito, a área central oferecida tem cerca de 34 mil m² e o espaço cedido pelo Grupo Kamel será o suficiente para abrigar a arena, o sambódromo e o autódromo, quem sabe, o primeiro de Minas Gerais.

“Acertamos com o Kamel os detalhes para criar o projeto que será apreciado pelos vereadores e acreditamos que ele será sacramentado. Não temos mais uma Câmara manobrada pelo poder público, hoje ela está dentro de uma transparência muito grande, tem opositores que nos norteiam, mas todos os vereadores verão que é um projeto para a cidade. São grandes obras que serão executadas em 24 meses”, afirma.

“Queremos trazer para a cidade o foco turístico que o Barreiro tem. Um shopping é uma tendência natural vindo das capitais para o interior e Araxá já pode ter o seu. Já a arena olímpica seria dentro dos moldes europeus que pode servir de subsede da Copa 2014, podemos ter campeonatos de som, de arrancada, corridas, enfim, produtos que farão de Araxá a melhor no rol de esportes e turismo”, destaca o prefeito.

Se o projeto for aprovado pela Câmara, o prefeito afirma que as verbas para a construção dos novos empreendimentos serão pleiteadas no governo do Estado e governo federal.

Notícias relacionadas