Prefeitos, vereadores, deputados, ANTT e Sociedade Civil Organizada debatem sobre a duplicação da BR-262 na próxima sexta (26)

Prefeitos, vereadores, deputados, ANTT e Sociedade Civil Organizada debatem sobre a duplicação da BR-262 na próxima sexta (26)

Araxá vai sediar, nesta sexta-feira (26 de janeiro), um dos encontros mais esperados das últimas décadas: um “Diálogo Público” entre prefeitos, vereadores, deputados, Sociedade Civil Organizada (SCO) e a direção da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), representada pelo diretor-geral, Rafael Vitale, e a equipe técnica do órgão.

O objetivo do “MOVIMENTO DUPLICA BR-262 – Preservando Vidas” é alertar o Governo Federal sobre os riscos do trecho com 350km de pista simples da rodovia que, nos últimos três anos (2021 a 2023), causou milhares de acidentes e matou 163 pessoas – uma morte a cada seis dias.

Com a mobilização, os organizadores vão demonstrar a força política e econômica da região associada à importância de preservar vidas humanas. Assim, esperam convencer a ANTT e a União de que a melhor solução é incluir o compromisso de duplicação de rodovia, na proposta que vai nortear o leilão de escolha da nova concessionária responsável por administrar a BR-262.

Diálogo Público

O evento será no Tauá Grande Hotel e está marcado para iniciar às 14h. O credenciamento das autoridades e membros da Sociedade Civil Organizada começará às 13h, com entrada aberta ao público. Os interessados em participar devem fazer a inscrição no site.

A ação é uma iniciativa de representantes da Sociedade Civil Organizada (SCO) de Araxá, Uberaba, Uberlândia e das cidades filiadas às Associações dos Municípios da Microrregião do Planalto de Araxá (AMPLA), da Microrregião do Vale do Rio Grande (AMVALE), e da Microrregião do Vale do Paranaíba (AMVAP).

Trecho perigoso

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o percurso mais perigoso aos usuários possui 450km de extensão. Inicia em Uberaba, no Triângulo Mineiro, passando por Araxá, no Alto Paranaíba, Nova Serrana, na região Central, terminando em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Dados da PRF indicam que, neste trecho, de 2021 a 2023, ocorreram 1.780 acidentes com 163 mortes, média de 54 por ano. Isso significa um óbito a cada seis dias. Foram registrados ainda 2.037 feridos. Somente no percurso que inicia na ponte do Rio Araguari (KM748) e termina no trevo de Pará de Minas, que fica sob a responsabilidade da Delegacia da PRF de Araxá, foram registradas 113 mortes (2021/2023) – uma a cada 10 dias.

Custo de saúde

Os acidentes registrados neste trecho da rodovia atingem diretamente o orçamento dos municípios localizados ao longo da estrada. De acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), em 2022, o Brasil registrou 64.447 acidentes somente em rodovias federais. Deste montante, 52.948 tiveram vítimas (mortos ou feridos)

Ao todo, o Governo Federal investiu R$ 12,9 bilhões em atendimentos para socorrer os feridos nos hospitais e Unidades de Pronto-Atendimento (UPA). Cada acidente custou, em média, R$ 200 mil. Aplicando este cálculo aos acidentes registrados no trecho da BR-262, que compreende Uberaba, Araxá, Nova Serrana e Betim, estes municípios sofreram um impacto de R$ 32,6 milhões em seus orçamentos para socorrer as vítimas.

Prejuízos logísticos

Além de acidentes e mortes, a pista simples da BR-262 também provoca prejuízos ao setor de logística. É que os caminhões modelo rodotrem de nove eixos (caminhão e dois semirreboques), muito usados pelos grandes centros de distribuição de mercadorias, são impedidos de trafegarem desde o pôr do sol até o amanhecer. E nos feriados prolongados, eles também são proibidos de rodarem nas rodovias de pista simples, implicando em atrasos na entrega e inflacionando o preço final do produto ao consumidor.

Um estudo realizado pela CNT, em 2023, indica que a falta de duplicação, associado a outros fatores prejudiciais da rodovia, provoca um aumento, em média, de 32,7% no custo do transporte (diesel e manutenção), prejudicando a competitividade do mercado brasileiro. A BR-262 é uma importante via de transporte de insumos e produção agrícola (arroz, feijão, soja, milho, suínos, bovinos, aves etc.) para o setor logístico no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

COMPARATIVO RODOVIAS BRASILEIRAS

– BR-262: Uberaba a Nova Serrana (MG), pista simples, R$ 6,50;
– Sistema Anchieta-Imigrantes (SP), pista dupla, R$ 27,00;
– Castelo Branco e Raposo Tavares (SP), pista dupla, R$ 24,00;
– Bandeirantes e Anhanguera (SP), pista dupla, R$ 17,00;
– Via Lagos (RJ), pista dupla, R$ 15,00;
– Rio-Teresópolis (RJ), maior parte é de pista dupla, restante em processo de duplicação, R$ 22,00.
*cobrança a cada 100k de rodovia.

SERVIÇO

Diálogo Público: Duplicação BR-262 (com presença da ANTT)
Data: 26 de janeiro (sexta-feira)
Horário: 14h
Credenciamento: a partir das 13h
Local: Tauá Grande Hotel
Inscrições: no link ( http://tinyurl.com/yew9uswz )
Evento aberto ao público

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *