Projeto Cientistas do Cerrado 2016

Projeto Cientistas do Cerrado 2016
Foto: Aluna Tayná Vitória Barros – Escola Estadual Dr. Eduardo Montandon

O Programa de Educação Ambiental da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração – CBMM, implantado em 1992, tem como princípios o desenvolvimento sustentável, a responsabilidade social e o foco no Bioma Cerrado, e como objetivos: estimular o conhecimento sobre os patrimônios natural e cultural da região, para valorizá-los; estimular o protagonismo escolar no desenvolvimento de atividades de Educação Ambiental; atender a todas as Instituições de Ensino Fundamental da Rede Escolar de Araxá (pública e particular); fortalecer a parceria / articulação entre o CDA – Centro de Desenvolvimento Ambiental, escolas, família, comunidade, órgãos ambientais, ONGs e outras instituições; e aliar educação, pesquisa e lazer.

Coordenado pela Médica Veterinária Laura Teodoro de Oliveira, é desenvolvido por meio do Projeto Cientistas do Cerrado e realizado em ciclos anuais. O Projeto instiga à pesquisa pela observação, experimentação e registro das experiências e vivências a partir de 13 temas propostos que ganham vida pelas mãos dos professores e alunos. Os temas estão relacionados à biodiversidade do cerrado (conceitos, ameaças e conservação), tais como biomas brasileiros, fauna, vegetação e flora, plantas medicinais, polinização, desmatamentos, queimadas, tráfico de animais silvestres, conservação in situ, em ambiente natural, e ex situ, fora do ambiente natural, e as riquezas de Araxá, como as águas, o nióbio, o desenvolvimento sustentável e o ambiente urbano.

O Projeto Cientistas do Cerrado tem como cenários o Complexo Minero-Industrial da CBMM e se irradia pela comunidade escolar e espaços culturais e naturais nos quais cerca de 30 especialistas da CBMM e parceiros realizam o acompanhamento pedagógico das atividades propostas. As atividades foram iniciadas em 08 de junho de 2016, no Evento de Abertura do Projeto Cientistas do Cerrado, realizado para a comunidade escolar e parceiros, quando foram apresentadas as atividades planejadas para o período, e realizada uma Exposição de trabalhos dos alunos e professores que haviam participado nos anos anteriores de 2014 e 2015. A partir de então, foram realizadas Visitas Monitoradas ao Complexo Minero-Industrial da CBMM, tendo como foco o desenvolvimento sustentável (n=37), Oficinas para gestores escolares e professores, de Registros de Projetos Pedagógicos de Educação Ambiental e de Elaboração de Apresentações Culturais (n=4), Oficinas e Palestras sobre temas relacionados a  Biodiversidade do Cerrado, Nióbio e Desenvolvimento Sustentável, Conservação do Ambiente Urbano (n=37), Visitas Monitoradas a Museus e Pontos Históricos e Culturais de Araxá (n=43) e disponibilização de 9 Midiatecas Itinerantes do Cerrado em todas as Escolas participantes do Projeto.

Desenho Destaque - Super Nióbio – Aluno Luan Carlos de Oliveira – Escola Municipal de Aplicação Lélia Guimarães – CEPAC
Desenho Destaque – Super Nióbio – Aluno Luan Carlos de Oliveira – Escola Municipal de Aplicação Lélia Guimarães – CEPAC

Em 2016, abrangeu um público de 1500 alunos, 73 professores e 48 gestores e comunidade escolar, de 23 Escolas que aderiram voluntariamente ao Projeto. O encerramento de mais um ciclo anual aconteceu em 11 de novembro, com uma mostra de trabalhos e 22 Apresentações Culturais num Evento de Culminância realizado no Teatro Municipal de Araxá. A CBMM promove ainda, anualmente, um Concurso de Educação Ambiental do Projeto Cientistas do Cerrado, valorizando e premiando alunos, professores e supervisores que se destacam a cada ano, e apresentam trabalhos nas categorias Redação Prosa, Redação Poema, Desenho, Panfletos, Histórias em Quadrinhos, Paródias, Projetos Pedagógicos e Apresentações Culturais. Em 2016, houve uma apresentação recorde de 658 trabalhos, resultando em 46 alunos, 26 professores e 3 supervisores premiados.

O Cientistas do Cerrado é realizado pela Equipe de Educação Ambiental do Centro de Desenvolvimento Ambiental da CBMM, pela Companhia Mineradora do Pirocloro de Araxá – COMIPA, e conta com a parceria da Secretaria Municipal de Educação de Araxá, da Superintendência Regional de Ensino de Uberaba – Polo Araxá, da Reserva Eco Cerrado Brasil, da Polícia Militar de Meio Ambiente de Araxá, da Sala Verde – do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Sustentável de Araxá – IPDSA, do Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá, do Centro Universitário do Planalto de Araxá – UNIARAXA, do Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA, da Maestrina Maria Cândida Gouveia Borges e da Fundação Cultural Calmon Barreto.

O enriquecimento do conteúdo trabalhado nas escolas; o crescente e contínuo contato com as informações sobre o meio ambiente; a percepção da presença do patrimônio de recursos naturais, minerais e culturais; a percepção clara de que a compatibilização de atividades minerais e industriais e desenvolvimento ambiental é possível; a reflexão sobre os temas ambientais e sua discussão com familiares que contribuem para a resolução de problemas ambientais nas escolas e entorno; e a integração de diversos segmentos com a formação uma rede de Educação Ambiental na comunidade de Araxá, são alguns dos resultados decorrentes das ações desenvolvidas, que já atendeu a cerca de 72 mil alunos e professores de Instituições de ensino de Araxá e região.

cientistascerrado251116_3

Fonte: CBMM

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *