Consumidor está mais disposto a gastar no Natal 2012, diz Fecomércio

Consumidor está mais disposto a gastar no Natal 2012, diz Fecomércio

Da Redação/Via Fecomércio – A Federação do Comércio de Minas Gerais (Fecomércio Minas) realizou recente pesquisa que mostra que o consumidor está mais disposto a gastar em dezembro deste ano. A melhor data de vendas para o varejo se aproxima. E, para a felicidade dos empresários do comércio de bens, serviços e turismo, a expectativa é que o Natal não seja de lembrancinhas. A receita para o fim de ano se baseia em confiança no futuro e otimismo.

Entre os ingredientes que compõem a agenda natalina estão a baixa taxa de desemprego, o acesso ao crédito, o aumento da renda e as reduções sucessivas da taxa Selic. É o que aponta a Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista “Expectativas para o Natal de 2012”, realizada pelo Departamento de Economia da Fecomércio Minas. Segundo os dados, 90,3% dos entrevistados estão dispostos a gastar entre R$ 50 e R$ 500, número superior aos 82% do último Natal.

Para 96% dos empresários, as vendas natalinas serão iguais ou superiores às de 2011, sendo que 45,5% deles acreditam que o período será ótimo para o comércio. De acordo com o economista da Fecomércio Minas, Gabriel de Andrade Ivo, as expectativas positivas dos empresários provavelmente se concretizarão.

“A ideia é que o Natal não seja de lembrancinhas, mas de oportunidades para todos que ofereçam produtos de qualidade, para diferentes preços. A tendência é que este fim de ano seja um dos melhores dos últimos anos”, relata.

E os números comprovam essa expectativa, já que para 72,1% dos empresários as vendas no último trimestre do ano serão melhores quando comparadas às do ano passado. Para 88% serão melhores ou iguais, portanto apenas 12% dos entrevistados estão pessimistas. Para os empresários que acreditam em vendas superiores neste ano, 13,5% acham que isso ocorrerá pela situação financeira melhor do consumidor e pela variedade de opções para as compras.

O crédito facilitado e as condições de prazo atrairão o consumidor para 12,2% dos entrevistados. Além disso, a ascensão social e o maior poder de compra serão motivos para 11,4%. “Os empresários conhecem diversas maneiras para atrair e cativar o consumidor, por isso adotam medidas como vitrines temáticas atrativas e interativas, contratam temporários e colocam novas mercadorias para diversificar o mix de produtos. Outro ponto bastante valorizado pelo consumidor é o bom atendimento (28,2%)”, ressalta o economista.

Além disso, segundo o profissional, conhecer a concorrência e as formas de tratamento é fundamental para o sucesso do negócio. Para 50,5% dos entrevistados, o consumidor irá comprar seus produtos após pesquisa de preços e qualidade.

Já 21,8% acham que os clientes irão planejar parte dos gastos, mas parte das compras será por impulso. Somando-se a isso, a forma de pagamento mais utilizada será o cartão de crédito (parcelado) com 87,7% das respostas, com absoluta maioria. Em seguida o pagamento à vista, em dinheiro (6,8%). Para estimular essa escolha, os empresários oferecem descontos na faixa de 5% a 10%.

Notícias relacionadas