Super banner
Super banner

Prefeito negocia a construção de mais 1 mil casas populares

Prefeito negocia a construção de mais 1 mil casas populares

Unidades do bairro Aeroporto - Foto: Sérgio Gomes

Da Redação/Raphael Rios – O prefeito Jeová Moreira da Costa anunciou que está em negociação para a construção de mais 1 mil casas populares. As primeiras unidades 500 já estão fechadas junto à Caixa Econômica Federal, faltando apenas bater o martelo com o proprietário de uma área no entorno da cidade, onde as unidades serão construídas. Já as outras 500 casas, ele estuda construir nos terrenos que foram doados, no ano passado, na área que fica ao lado do bairro Santa Maria.

Neste caso, será necessário o consentimento das pessoas sorteadas e outros processos burocráticos. Além dos 500 lotes doados no ano passado, onde o prefeito pretende erguer metade das 1 mil casas, ele está prestes a entregar 497 casas no bairro Aeroporto e outras 500 estão sendo construídas no bairro Pão de Açúcar. Caso as novas investidas derem certo, a administração conseguirá doar cerca de 2 mil unidades, 1 mil a menos do que foi prometido em campanha.

De acordo com o prefeito, uma das prioridades do governo é dar moradia a quem realmente está precisando. “Nós conseguimos, por meio de nosso novo secretário (Desenvolvimento Humano), o Ronaldo Ferreira, em um trabalho que já estava sendo construído pelos secretários anteriores, mais 500 casas”, diz.

“Acredito que daqui uns 15 ou 30 dias nós já vamos anunciar essa assinatura. E também já ficou no trabalho do secretário Ronaldo, nesta semana, a gente transformar os 500 lotes que nós fizemos a doação em casas. Então qual é a vantagem em todo esse processo? É que vai entrar, em Araxá, mais R$ 50 milhões para o nosso comércio. Cada casa feita pelo governo federal no projeto Minha Casa, Minha Vida, da presidente Dilma (Rousseff), é pago R$ 52 mil por casa”, completa.

Segundo o prefeito, as negociações já estão bem adiantadas para a construção de outras 1 mil casas, por isso ele pensa em cerca de R$ 50 milhões injetados na economia da cidade.

“Como estamos bastante engatilhados, há essa possibilidade de termos mais 1 mil casas construídas. Nós fizemos a doação dos terrenos, agora temos que criar um trabalho onde será preciso uma união muito grande da Secretaria de Desenvolvimento Humano, que representa o Executivo, assim como a Câmara Municipal, em elaborar a maneira de cumprirmos as exigências da Caixa para entrarmos no projeto Minha Casa, Minha Vida”, diz.

Jeová destaca que em ano eleitoral não se pode fazer doação para o Fundo Federal de Habitação, será necessária uma licitação de venda dos terreno, onde os lotes foram doados no ano passado, ao lado do bairro Santa Maria. “Para vender o terreno, nós precisamos conversar com todas as pessoas que foram premiadas para saber se eles estão dentro desse consentimento. Se eles estiverem dentro desse consentimento e passarem pelo crivo de seleção da Caixa, nós podemos transformar os lotes em casa”, destaca.

Nova área

Sobre as outras 500 casas, Jeová diz que está negociando uma área, mas ainda não pode anunciar o local. “Já fechamos com a Caixa. As negociações estão bastante avançadas com o proprietário da área e depois poderemos anunciar o local onde serão construídas essas 500 casas”, diz.

Notícias relacionadas