Super banner
Super banner

Bosco define comissão para analisar subsídios de diretores escolares

Bosco define comissão para analisar subsídios de diretores escolares

Bosco define comissão para analisar subsídios de diretores escolares 1

Da Redação – Em uma das mais movimentadas reuniões das atividades da Assembleia Legislativa deste primeiro semestre, o deputado Bosco (PTdoB), presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, definiu pela criação de um grupo composto por parlamentares que a integram a comissão e representantes da Associação dos Diretores das Escolas Oficiais de Minas Gerais (Adeomg), Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE) e das secretarias de Educação e Planejamento para analisar e formular estudos relativos aos subsídios dos diretores. 

A audiência pública contou com uma grande participação de educadores e diretores da capital e do interior, entre os quais destacam-se a presença de Araxá e região. 

A secretária-adjunta de Estado de Educação, Maria Ceres Pimenta Spínola Castro mostrou disposição para discutir a situação, ressaltando que a questão é política, técnica e orçamentária. Ela antecipou também que existe vontade do governo em rever a situação. Por seu lado, o deputado Carlim Moura (PCdoB) destacou a atuação do presidente da comissão e sua condução imparcial nos trabalhos do órgão deliberativo da Assembleia Legislativa. 

Relator

Logo após a reunião da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, o deputado Bosco foi relator, em comissão especial, da indicação da economista Marilena Chaves, designada pelo governador Antonio Anastasia, para presidir a Fundação João Pinheiro (FJP). Em resposta ao deputado Bosco, a economista falou sobre o Centro de Pesquisas Aplicadas, criado pela Lei Delegada. 

A presidente disse que o novo órgão da FJP terá trabalho mais voltado para a sociedade. Tradicionalmente, a fundação tem como clientes preferenciais os governos.

Com Ascom

Notícias relacionadas