Diante da alta de casos de Covid-19, Prefeitura de Araxá estabelece tolerância zero com infratores

Diante da alta de casos de Covid-19, Prefeitura de Araxá estabelece tolerância zero com infratores

A evolução acelerada do número de casos de Covid-19 em Araxá levou a Prefeitura a adotar tolerância zero na fiscalização para conter o avanço da doença. O anúncio foi feito durante coletiva, nesta quarta-feira (19), pelo prefeito Robson Magela ao lado do vice Mauro Chaves, da secretária municipal de Saúde, Lorena de Pinho Magalhães, além de representantes da segurança pública, o delegado regional de Polícia Civil, Vitor Hugo Heisler, e o tenente Josué Muniz, da Polícia Militar. 

Em tom de alerta, o prefeito revelou os dados que apontam que os focos de contaminação são bares que desobedecem ao protocolo de biossegurança e festas clandestinas em ranchos e sítios. “Portanto, entre as medidas adotadas está a fiscalização mais rigorosa com aplicação de multas a quem não estiver respeitando os protocolos. Quem não tiver empatia e respeito pela vida, vai ser penalizado, vai doer no bolso.” 

De acordo com o prefeito Robson, fiscais da Vigilância Sanitária, Vigilantes Patrimoniais e Agentes da Asttran, em parceria com a Polícia Militar e Polícia Civil. estarão atuando de forma a fazer valer a Lei nº 7.512, de 6 de maio de 2021. 

Conforme a legislação, os estabelecimentos que forem flagrados descumprindo as regras previstas nos decretos municipais serão notificados e multados em 50 UFPA (que hoje equivale a R$ 53,87 o valor unitário), totalizando R$ 2.693,50. A multa será aplicada ao proprietário e ao locatário de área de lazer, pessoa física ou jurídica, na hipótese em que tenha sido identificado no local, aglomeração irregular de pessoas. 

Também serão multadas as pessoas que estiverem participando de reuniões em locais privados, que causem aglomeração, considerando reuniões com 10 ou mais pessoas que estejam reunidas com propósitos recreativos. A multa será de 20 UFPA, ou seja, R$ 1.077,40 por pessoa. 

Outro apontamento diz respeito ao horário de funcionamento dos estabelecimentos do ramo de bebidas e alimentos. Conforme denúncias, muitos têm baixado as portas após o horário de funcionamento permitido, e mantido clientes no seu interior. “Sou contra o fechamento total do comércio. E não podemos permitir que os que estão agindo corretamente arquem com as consequências dos errados. Por isso, os estabelecimentos que descumprirem essas normas serão interditados por 15 dias nos termos do art. 6º do Decreto Municipal n° 289/2021”, explicou o prefeito. 

As Polícias Civil e Militar também irão auxiliar as equipes, principalmente casos em que haja necessidade de dispersar aglomerações, interromper eventos e interditar os estabelecimentos comerciais. 

“Nossos profissionais de saúde estão abalados, a Santa Casa e a UPA estão lotados, não há trégua. E na rua, no final de semana, as pessoas agem como se nada estivesse acontecendo. Ruas e bares lotados, pessoas se aglomerando e sem máscara. A nova variante é muito rápida e agressiva. A saturação cai rápido e em poucos dias a pessoa precisa ser entubada. Precisamos que todos tenham consciência e cumpram os protocolos sanitários”, alertou a secretária Lorena.

Notícias relacionadas

Inscreva-se
Me avise:
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Mostrar todos os comentários
0
Deixe seu comentário para essa notícia!x