Super banner
Super banner

Frigorífico Pacheco é reaberto depois de seis meses interditado

Frigorífico Pacheco é reaberto depois de seis meses interditado

Frigorífico Pacheco - Imagem: Google

Da Redação/Jorge Mourão – O Frigorífico Pacheco voltou às atividades de abate em Araxá nesta quarta-feira (4), depois de ter sido interditado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em outubro passado por irregularidades estruturais e sanitárias na unidade operacional da empresa.

A situação do frigorífico foi debatida por um Fórum Comunitário da Câmara Municipal de Araxá no último dia 6 de fevereiro, por requerimento do vereador Juninho da Farmácia (DEM). Na época, o proprietário Geraldo Pacheco alegou falta de recursos para atender as exigências do Mapa, mas hoje a situação é diferente.

Na semana passada foram feitos testes de abate no frigorífico com acompanhamento da fiscalização do Mapa, e na sexta-feira 30 o local foi liberado para a atividade.

“Foi despertado o interesse do empreendedor para que o frigorífico voltasse a funcionar. Haviam várias demandas deficitárias, sendo 28 no abate de bovinos, 11 no de suínos, além de 21 de ordem pessoal dos funcionários. As principais pendências foram resolvidas pelo proprietário e o Sipoa (Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Mapa) estipulou prazo para atender as outras demandas”, afirma Juninho.

O vereador ressalta que o município ganha novamente com a reabertura do frigorífico. “A população volta a comprar carne mais barata porque antes ela era trazida de outras cidades. Além disso, o município volta a arrecadar com a atividade, além do produtor rural da nossa região que não vai ter mais necessidade de transportar o gado para serem abatidos em Uberaba, Uberlândia e Ribeirão Preto (SP). Ganhamos também por ter uma carne com condições de higiene para consumo, pois nesses últimos dias foram apontados abates clandestinos em meio ao pasto e essa carne estava chegando aos nossos açougues”, diz.

Notícias relacionadas