Super banner
Super banner

Gol no minuto final dá a vitória ao Vila

Gol no minuto final dá a vitória ao Vila

Victor marcou o seu e figura na briga pela artilharia - Foto: Jorge Mourão

Da Redação/Raphael Rios – O clássico entre Vila Nova e CIT foi marcado por emoções até o minuto final. As duas equipes se enfrentaram na manhã de hoje (5), no Honorízio Pereira Velozo, pela 3ª rodada do Campeonato Amador. Depois de sair na frente, ter um jogador a mais e o goleiro adversário improvisado, o Tricolor deixou escapar o empate e só conseguiu a vitória no último minuto com um gol do zagueiro Anderson. O resultado mantém o Vila com 100% de aproveitamento e na primeira colocação com o folgado saldo de 11 gols; já o CIT só marcou um ponto em três jogos e amarga a zona de rebaixamento junto com o Guarani.

» Classificação e resultados

Expulsão, pênalti e Vila na frente

Muita rivalidade em campo, jogadas mais fortes e lances firmes no meio-campo. O CIT, reformulado e com vários jogadores da região, teve mais dificuldade de encaixar o futebol contra um Vila Nova com uma base que joga junta desde 2010.

O primeiro lance de perigo veio depois de uma bobeada da zaga do CIT, que foi aproveitada por Caio. O camisa 10 do Vila entrou na área e bateu cruzado com muito perigo.  Mas perto ainda do gol foi o chute de Fabrício. Aos 20 minutos, o zagueirão aproveitou rebote da zaga tricolor, chutou do meio da rua e a bola acertou o travessão.

Logo aos 25 minutos, o árbitro Murilo Gonçalves deu pênalti de Maisena em Rodrigo. O goleiro saiu com o pé alto e atingiu o atacante. O banco de reservas do CIT reclamou muito do lance, que, para ele, teria sido de fora da área. Como Maisena era o último homem, ele foi expulso e o meio-campista Dieizon foi sacrificado pelo treinador Wilson para a entrada de Flavinho. O atacante foi para o gol já que o CIT não tinha goleiro reserva no banco.

Após o atendimento de Rodrigo e muita discussão, Victor foi para a cobrança e não deu chance para o goleiro improvisado. Vila Nova 1 a 0.

Com um a menos, o CIT só teve boas chances na jogadas individuais de Alemão, mas nenhuma com sucesso.

Parecia fácil

Veio o segundo tempo e o Vila Nova tinha ampla vantagem. Ganhando por 1 a 0, goleiro adversário improvisado e um jogador a mais. Parecia o cenário certo para um placar mais amplo. Porém, quem voltou ligado foi o CIT e depois de uma falha feia de Ricardo, Alemão, sócia de Vaninho, pegou a sobra, limpou a jogada e empatou a partida no primeiro minuto da segunda etapa. 

A partir dai o que se viu foi uma blitz do Vila no ataque enquanto o CIT respondia com contra-ataques rápidos e com perigo. O atacante Rodrigo teve a chance de deixar a equipe mais uma vez na frente no marcador. Aos 14 minutos, ele recebeu ótimo passe e tocou na saída de Flavinho, mas a bola caprichosamente foi na trave.

Os dois treinadores alteraram as equipes, mas o placar permanecia o mesmo. Só no fim da partida é que o Tricolor foi com mais ímpeto para o ataque. Aos 45, Bruninho aproveitou rebote de Flavinho, mas com o gol aberto, chutou para fora. Um minuto depois foi a vez de Victor perder grande chance. Ele recebeu a bola livre pela esquerda, mas Flavinho cresceu pra cima dele e evitou o gol.

De tanto tentar, o Vila Nova chegou à vitória. No último minuto, Dalmer começou a jogada pela direita e fez o cruzamento certeiro na área, nos pés de Anderson. O zagueiro não desperdiçou e garantiu os 100% de aproveitamento do Tricolor.

Ficha técnica

Vila Nova: Ricardo, Igor Goiaba (Bruninho), Anderson, Raul e Thiago Piriá; Dalmer, Ernane (Éder), Lineker e Caio (Marcos Peixe); Victor e Rodrigo.
Treinador: João Paulo.

CIT: Maisena, Saulo (Douglas), Fabrício, Cassiano e Zoba; Bandeira, Dieizon (Flavinho), Ciel e Daniel (Foguinho); Alemão (Paulinho Fumanchu) e Daniel.
Treinador: Wilson.

Árbitro: Murilo Gonçalves.
Auxiliares: Amilton Marcos Moreira e Pedro Caetano.

Cartões amarelos: Thiago Piriá e Igor Goiaba (Vila;) e Dieizon e Fabrício (CIT).
Cartão vermelho: Maisena.

Gol no 1º tempo: Vitor, aos 28 minutos.
Gols no 2º tempo: Alemão, no primeiro minuto; e Anderson, aos 48 minutos.

Notícias relacionadas