Super banner
Super banner

Luta pelo piso nacional é debatida no congresso da Sind-UTE em Araxá

Luta pelo piso nacional é debatida no congresso da Sind-UTE em Araxá

Congresso do Sind-UTE promovido no Sesc Araxá - Divulgação

Da Redação – A luta pelo piso salarial nacional e plano de carreira foi uma das prioridades debatidas durante o 9° Congresso Estatutário do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), promovido neste fim de semana, no Centro Cultural do Sesc.

A coordenadora-geral do Sind-UTE, Beatriz Cerqueira, afirma que o encontro no início do ano é necessário para antecipar a organização para a luta. “Não podemos esperar as coisas se organizarem na escola, para aí sim pensarmos nas nossas ações. Temos muitos problemas a serem resolvidos e precisamos nos articular o quanto antes para definirmos as ferramentas a serem utilizadas.

Em 2011, os trabalhadores em educação promoveram 112 dias de greve pelo cumprimento da lei federal 11.738/08, que regulamenta o piso salarial profissional nacional para educadores.

A paralisação só foi suspensa quando o governo de Minas assinou um termo com o Sind-UTE/MG, no qual se comprometia a discutir aplicação do piso salarial na tabela de remuneração vigente. Para isso, foi formada uma comissão composta por deputados estaduais e representantes do Estado e do sindicato para discutir a aplicação do vencimento básico.

Entretanto, diz Beatriz, após seis reuniões da comissão, o governo, além de não aplicar o piso, suspendeu as negociações com a categoria e encaminhou o substitutivo à Assembleia Legislativa. “A direção do Sind-UTE/MG avalia que, diante deste cenário, a categoria não pode se calar e assistir seus direitos serem retirados. Por isso, a realização do congresso foi uma forma de aglutinar forças para a luta por uma perspectiva de futuro melhor para os trabalhadores.”

O congresso bateu recorde com a participação de 2,5 mil delegados.

Notícias relacionadas