Super banner
Super banner

Prefeitura anuncia R$ 40 milhões em investimentos para implantação da Cidade Tecnológica

Prefeitura anuncia R$ 40 milhões em investimentos para implantação da Cidade Tecnológica

Vista do Parque do Cristo/Editoria de Arte

DA REDAÇÃO – A existência de terras-raras e de minerais como nióbio e fosfato em Araxá motivou a prefeitura a apostar na criação de um Parque Tecnológico no município. O objetivo é abrigar incubadoras e empresas para a realização de intercâmbios entre estudantes, professores e demais profissionais ligados a universidades e centros internacionais de pesquisas. O projeto, orçado em R$ 40 milhões, já está em fase de implantação e o parque deve iniciar as atividades já no próximo ano.

As informações são da secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias, Alda Sandra Marques. Segundo ela, Araxá pretende atrair investimentos ligados ao desenvolvimento e troca de alta tecnologia.

“Temos a sorte de possuir em Araxá elementos raros que outros lugares no mundo não têm. Por isso, temos obrigação de desenvolver tecnologia de ponta aqui. Um trabalho que favorecerá não só Brasil, mas o mundo”, afirma.

A Cidade Tecnológica do Triângulo Mineiro, nome escolhido para o parque, será construída em uma área de 168 hectares, localizada às margens da BR-262, que já foi desapropriada pela prefeitura. Além disso, a administração do município também desapropriou o antigo Hotel Colombo, que ocupa um terreno de 12 mil m², onde funcionará a sede administrativa do Centro de Tecnologia Avançada.

“Ao todo, a prefeitura já empenhou cerca de R$ 6 milhões somente com as desapropriações. O restante dos aportes virá por meio de parcerias com os governos federal, estadual e com empresas parceiras”, explica a secretária. No momento, está sendo realizada a terraplenagem do terreno.

O governo de Minas já anunciou que pretende estimular novos projetos nesse sentido e inseriu a exploração de terras-raras no Plano Nacional de Mineração, que trata de questões estratégicas do setor no país. O Estado acredita que a exploração dos minerais de Araxá ajudará o país a reduzir as importações.

De acordo com Alda, já foram firmadas parcerias com várias instituições de ensino superior brasileiras e as negociações estão avançadas junto às universidades de Coimbra (Portugal), Salamanca (Espanha), além da Universit of Colorado Bulder e da Worcester Polytechnique Institute, (WPI), ambas nos Estados Unidos.

“Acreditamos que, já no ano que vem, será possível dar início aos intercâmbios, tendo em vista que já temos a sede administrativa. O Hotel Colombo passará por uma reforma para abrigar o pessoal que vier de fora. Paralelo a isso, vamos trabalhando na atração de empresas incubadoras”, reforça.

Agora basta para que a prefeitura convença a próxima legislatura da Câmara Municipal a ter os investimentos autorizados. A primeira tentativa foi rejeitada durante votação no dia 24 de julho passado, quando um projeto de lei previa o direcionamento de R$ 2,305 milhões para a Cidade Tecnológica, mas os vereadores que votaram contra alegaram que o gasto com o projeto não estava previsto no Orçamento Municipal, e por ter sido ano eleitoral a regra para a aprovação não estava clara na legislação. A Assessoria Jurídica da Casa também deu parecer pela rejeição do projeto.

Desta vez, há investimentos para a Cidade Tecnológica previstos no Orçamento de 2013, que atualmente está em tramitação na Câmara, da ordem de R$ 5 milhões, recurso oriundo do Programa de Trabalho da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias.

Reservas de terras-raras

Segundo o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), além de Araxá, já foram oficialmente dimensionadas reservas de terras-raras nas regiões de Poços de Caldas e no Vale do Sapucaí, ambas em Minas, e no norte do Estado do Rio de Janeiro.

COM DIÁRIO DO COMÉRCIO

Notícias relacionadas