Romeu Zema aponta avanços na economia e no combate à criminalidade

Romeu Zema aponta avanços na economia e no combate à criminalidade

Em seu primeiro ano de gestão, o governador Romeu Zema aponta passos importantes para que Minas retome seu equilíbrio financeiro e reencontre o caminho do desenvolvimento. Compromissos assumidos durante a campanha estão se concretizando, mesmo em meio à grave crise econômica enfrentada pelo Estado.

De janeiro a outubro, Minas alcançou o saldo positivo de 124.180 postos de trabalho, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia – números impulsionados pela retomada de investimentos. Até agora, foram atraídos R$ 50,2 bilhões. “Este número, se comprado com o último governo, já demonstra uma diferença. Durante os quatro anos da última gestão foram assinados protocolos de intenção de investimentos que somaram R$ 28 bilhões. Nós, em apenas um ano, fizemos quase o dobro”, analisa o governador.

O Programa Minas Livre para Crescer, que tem objetivo de diminuir a burocracia e os custos para novos empreendimentos, é mais uma iniciativa nessa direção. “Nós avançamos muito na desburocratização e digitalização do Estado, dando maior agilidade nos procedimentos que dependem do Estado. Já simplificamos uma série de processos na secretaria da Fazenda, na área fiscal dos contribuintes, fazendo um trabalho em conjunto com as entidades de classe. E muito ainda vai ser simplificado”, afirma o governador.

De acordo com Romeu Zema, com as ferramentas de gestão e o zelo com os recursos públicos, tem sido possível fazer Minas retomar o caminho do desenvolvimento. “Estamos atingindo importantes resultados, como retomada do crescimento e os menores índices de criminalidade dos últimos anos”, avalia.

A aprovação do Projeto de Lei do Nióbio, que permite ao Executivo antecipar os recebíveis que a Codemge tem referentes ao metal, garante o pagamento do 13° ao funcionalismo e o fim temporário do parcelamento dos salários. Outra prioridade para o governador foi também alcançada: a regularização dos repasses aos municípios, a partir da assinatura de acordo histórico, totalizando o montante de R$ 7 bilhões.

Destaque para a Reforma Administrativa, que reduziu o número de secretarias de 21 para 12 e cortou cargos comissionados, resultando em um enxugamento de 42% na estrutura interna. O Programa Transforma Minas, iniciativa inédita para preenchimento de posições estratégicas e cargos de liderança no governo, disponibilizou 165 vagas. Dentro da proposta de conhecer de perto as demandas da população, o governador realizou Giros pelo Estado, visitando municípios de todas as regiões mineiras.

Para garantir que as metas e projetos sigam em frente, o governador propôs à Assembleia Legislativa a adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal, pois apenas com a medida será possível manter Minas na retomada que se iniciou neste ano. “2020 será o ano do equilíbrio das contas, o ano do Regime de Recuperação Fiscal”, afirma o governador. Como ressalta o vice-governador Paulo Brant, neste primeiro ano, a atual gestão conseguiu trazer ao Estado a governabilidade. “O governo de Minas tem metas e projetos para todas as áreas: seja no equilíbrio fiscal, no financeiro, na melhoria do serviço público”, afirma o vice-governador.

Notícias relacionadas

Inscreva-se
Me avise:
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Mostrar todos os comentários
0
Deixe seu comentário para essa notícia!x