Delegados e comandantes de policiamento debatem atividades da 5ª Risp

Delegados e comandantes de policiamento debatem atividades da 5ª Risp

A 3ª reunião da Integração da Gestão de Segurança Pública (Igesp) está sendo promovida em Araxá na tarde desta terça-feira (16), no Hotel Pousada Dona Beja. O evento é promovido pela 5ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp) e estão sendo debatidas as atividades desenvolvidas pelas Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp), que objetivam diminuir a incidência da criminalidade.

O encontro conta com as presenças do comandante da 5ª Região de Polícia Militar, coronel Aparecido Romualdo de Aquino, da chefe do 5º Distrito de Polícia Civil, Maria de Lourdes Camille, do comandante do 37° Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Euripes José Alves, do delegado Regional de Polícia Civil em Araxá, Heli Andrade, além de delegados e comandantes de policiamento dos municípios abrangidos pela 5ª Risp.

Igesp

A Integração e Gestão de Segurança Pública é um modelo de organização de gestão do trabalho policial, proposto pela Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais (Seds), que reúne ações e informações para obtenção de resultados em segurança pública.

O objetivo é aumentar a eficiência da prevenção e do combate ao crime, conjugando as práticas implementadas por diferentes órgãos de segurança como Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Tribunal de Justiça, Ministério Público e Subsecretaria de Administração Penitenciária.

O modelo de gestão proposta pela Igesp já foi implementado em outros países, como nos Estados Unidos. Em Nova York, por exemplo, é chamado de Compstat e consiste no gerenciamento das atividades policiais baseado na gestão do conhecimento e uso efetivo de informações, especialmente dos mapas de atividade criminal.

Tendo como base os princípios – redução da criminalidade e incremento da qualidade de vida das comunidades – o modelo procura implementar ações estratégicas sistemáticas e fundamentadas em informações compartilhadas. Gerar e sistematizar informações de inteligência atualizadas e precisas, comunicadas claramente a todos os agentes de segurança pública através de encontros estratégicos.

O modelo de gestão é acompanhado de avaliações no sentido de conhecer os reais impactos das ações sobre a ocorrência de crimes, e, se necessário, reorientar práticas e alocações de recursos.

Fonte: Secretaria de Estado de Defesa Social

Notícias relacionadas