Disputa para prefeito de Araxá deve envolver mesmos grupos de 2012

Disputa para prefeito de Araxá deve envolver mesmos grupos de 2012

As Eleições Municipais de 2016 tiveram mais um capítulo importante nesta semana. O vereador Mauro Chaves, ex PDT, filiou-se ao PSDB e confirmou o que muitos já esperavam, sua pré-candidatura a prefeito de Araxá. Diferente de muitos candidatos, que lançam seus nomes para agregar valor e, quem sabe, conseguir compor a chapa majoritária como vice-prefeito, Mauro deve mesmo ser o candidato do grupo do ex-prefeito Jeová Moreira da Costa.

Acredito, inclusive, numa possível composição com Carlos Roberto Rosa, o Roberto do Sindicato (Solidariedade), que tem carreira política mais longa que Mauro e foi o vereador mais votado em 2012, portanto o mais popular entre os concorrentes à época. Depois das trapalhadas de Miguel Junior na presidência da Câmara Municipal, Roberto assumiu a cadeira e conseguiu levar harmonia à Casa do Povo, que viveu péssimos momentos em 2015.

Mauro Chaves, que hoje é considerado oposição ao governo Aracely de Paula, viveu uma indecisão no final do ano passado quando seu mentor político, Jeová Moreira, foi preso temporariamente após a Polícia Civil ter encontrado em uma de suas propriedades rurais, máquinas públicas que estavam sendo utilizadas para fins particulares. Com a prisão temporária de Jeová Moreira e de João Bosco Borges, Mauro viu seu grupo político perder forças e, após ser muito sondado para compor uma chapa majoritária, chegou a comentar que não disputaria, nem mesmo, a eleição para a Câmara Municipal.

Algo muito relevante aconteceu para fazer o vereador mudar seu posicionamento e, agora, anunciar sua pré-candidatura a prefeito de Araxá. O que todo mundo já sabia é que Mauro não sairia nas eleições deste ano apoiando o atual prefeito Aracely de Paula, após a briga judicial que tirou Jeová da Prefeitura. Mauro sente gratidão e respeita muito o ex-prefeito Jeová, principalmente porque teve a oportunidade de ser Secretário de Segurança Pública na Administração do ex-prefeito e considera esta, uma das principais oportunidades em sua curta carreira política. Mauro pôde ouvir diversas vezes que era o melhor secretário da Administração Jeová Moreira e considera um ato de deslealdade apoiar Aracely de Paula, principal adversário político de Jeová.

O que ainda não parece definido é o (a) vice de Aracely de Paula. Nesta semana, o jornalista Saulo Aguiar fez considerações importantes sobre uma possível “guerra fria” entre o prefeito e sua vice, Lídia Jordão. O rumor tomou força após o filho de Lídia, José Gaudêncio Jr., fazer algumas críticas em seu Facebook sobre a situação de alguns setores da cidade. Um simples comentário de Gaudencinho (como é conhecido) levantou suspeitas sobre o atual convívio entre Lídia e Aracely. Porém, uma crítica pessoal não é o suficiente para indicar se existe ou não uma ruptura entre a vice e o prefeito de Araxá. Nesta sexta-feira, 18, no seu programa de Rádio, Aracely levou Lídia e, ao final, fez inúmeros elogios à secretária de Saúde do Município, o que poderia comprovar o bom relacionamento e a boa convivência de ambos.

Mas nada ainda está acertado. O secretário de Serviços Urbanos, Marco Antônio Rios, também tem o interesse pela vaga de vice de Aracely e não teria descartado uma candidatura a prefeito, caso não consiga se firmar com o atual chefe do Executivo. Aliás, no atual secretariado de Aracely, apenas Lídia e Marco Antônio têm esse perfil para a disputa e a briga deve ser mesmo entre os dois. Já na Câmara Municipal, entre os aliados do prefeito, alguns podem disponibilizar seus nomes e entrar para a concorrência. Tudo pode mudar, caso Aracely não seja candidato, o que acho pouco provável. Quem acompanha de perto o atual prefeito, sabe do seu empenho para permanecer à frente do Executivo Municipal.

Existe ainda a possibilidade de o deputado estadual Bosco ser candidato a Prefeito. Muitos desacreditam, mas outros dizem que Bosco até hoje não digeriu a derrota para Jeová Moreira em 2008 e teria interesse de disputar mais uma vez a Prefeitura de Araxá. Ele já comentou que não será candidato, caso Aracely busque a reeleição. Porém, como disse José de Magalhães Pinto, a política é igual uma nuvem: “Você olha e ela está de um jeito; olha de novo e ela já mudou”, portanto Bosco pode mudar de ideia e, quem sabe, se aliar aos insatisfeitos da Administração Aracely de Paula e lançar sua candidatura em 2016.

Nas últimas eleições, o PT não deixou de ter nome próprio para Prefeito de Araxá, mas nada tenho ouvido a respeito do partido para 2016. Talvez, a crise que o partido tem vivido a nível nacional, e a última derrota do nome mais expressivo do partido, Toninho Barbosão, em 2012, tenha desanimado o Partido dos Trabalhadores que pode, apenas, apoiar um dos prováveis candidatos citados acima.

Tudo pode acontecer em 2016 e você leitor, não pode deixar de acompanhar as notícias políticas da cidade neste ano. Vamos redobrar a atenção, porque vamos escolher o nosso caminho para os próximos quatro anos. A gestão 2012-2016 foi um desastre, com cassação de prefeito e vereadores presos, não podemos correr o risco de passar mais quatro anos caminhando a passos de tartaruga. Araxá precisa dar um pulo, e não apenas caminhar nos próximos anos.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: