Super banner
Super banner

Epamig aprova duas áreas para implantar fazenda experimental em Araxá

Epamig aprova duas áreas para implantar fazenda experimental em Araxá

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) vai implantar uma fazenda experimental em Araxá. Duas áreas foram disponibilizadas pela prefeitura – a fazenda Boa Vista, no Itaipu, e o terreno próximo ao Córrego Feio – para que a empresa possa analisar e decidir qual se adapta melhor às atividades a serem desenvolvidas.

Uma comissão composta pelo chefe de pesquisa da Epamig de Uberaba, Marcelo Abreu Lanza, o engenheiro agrônomo Roberto Zito e pesquisadoras nas áreas de fruticultura e nutrição animal analisaram os locais e aprovaram as duas áreas. Uma avaliação preliminar considerou o terreno próximo ao Córrego Feio com melhores condições para receber o projeto.

O próximo passo será a vinda de técnicos da Epamig a Araxá para junto com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural e outras instituições diagnosticar as demandas do município e, em seguida, definir quais ações serão desenvolvidas. O interesse é criar um laboratório para estudos e pesquisas de fruticultura, horticultura e pecuária de leite.

O prefeito Jeová Moreira da Costa confirmou a participação da prefeitura no projeto e destacou que qualquer ação a ser implantada deverá ter um grande e positivo impacto ambiental e ecológico, além de trazer tecnologias de ponta para Araxá.

O secretário municipal de Desenvolvimento Rural, Caio Márcio Côrtes, uma decisão definitiva de qual área será utilizada vai ser decidida pelo presidente da Epamig, Baldonedo Arthur Napoleão.

“Toda documentação, inclusive material fotográfico, foi levantada pelos técnicos da empresa, mas a preferência é pela área próxima ao Córrego Feio, justamente por ser um terreno um pouco maior. Após definir o local para a implantação da unidade, será realizado um estudo para saber qual o objeto de pesquisa da fazenda experimental.”

De acordo com Côrtes, as atividades a serem desenvolvidas serão nas áreas de pecuária de leite, horticultura e fruticultura. “São áreas que a cidade já tem certa vocação para produção. A fruticultura, por exemplo, é conhecida pelos seus doces e existe uma necessidade grande de abastecer com matéria prima esse mercado. A função da Epamig será trazer tecnologias de ponta para realizar pesquisas dentro das áreas escolhidas, de acordo com o clima, altitude, temperatura e solo da nossa região.”

Lanza afirma que a área do Córrego Feio foi a que mais agradou durante a avaliação. “Gostamos muito daquela área e estamos fechando um relatório conclusivo para ser enviado a Belo Horizonte para uma análise mais detalhada do presidente da Epamig. Também gostamos da Fazenda Boa Vista, mas não temos condições estruturais de implantar duas unidades ao mesmo tempo.”

Ele ressalta que a área do córrego Feio é de preservação ambiental e, com isso, a Epamig vai solicitar um estudo para saber se as ações a serem desenvolvidas não prejudicarão a nascente próxima ao local. “Temos que fazer tudo dentro da lei ambiental. Caso houver algum problema, a fazenda no Itaipu passa a ser prioridade para implantação da fazenda experimental”, explica.

Notícias relacionadas