Super banner
Super banner

Mais de 500 quilos de peixes são apreendidos em Minas

Mais de 500 quilos de peixes são apreendidos em Minas

A operação “Arrastão” foi concluída neste sábado (22) e fiscalizou 289 pescadores amadores, 141 pescadores profissionais e 15 estabelecimentos comerciais. As ações foram coordenadas pelo Comitê Gestor de Fiscalização Ambiental Integrada (CGFAI), com participação de 28 policiais militares de Meio Ambiente e Trânsito de Minas Gerais (Demat) e oito técnicos do Instituto Estadual de Florestas (IEF).

A operação se concetrou no rio São Francisco e no lago de Três Marias. O objetivo da ação foi coibir a pesca predatória e ilegal na bacia do rio São Francisco, fiscalizar o cumprimento das portarias da piracema e cumprir 11 mandados de busca e apreensão expedidos pela juíza da comarca de Três Marias. A ação contou com o apoio de 13 veículos, dez barcos e uma lancha.

Foram apreendidos 595,1 quilos de pescado, sendo 250 quilos em dois restaurantes, além de 14 quilômetros de redes, seis armas de fogo, 91 munições e diversos petrechos de pesca. A polícia efetuou também uma prisão por porte ilegal de arma de fogo e realizou 50 boletins de ocorrência nos cinco dias da operação.

De acordo com o técnico do IEF, Fernando Remo, a fiscalização representou a retirada de circulação de instrumentos e agentes que estavam impossibilitando a subida do peixe para desova no período da piracema.

De acordo com a portaria 192 da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, está proibida, durante o período da piracema, a prática de atos de pesca para todas as categorias, no perímetro compreendido entre mil metros acima e mil metros abaixo das barragens, usinas hidrelétricas, cachoeiras e corredeiras e a menos de 500 metros de raio da confluência e desembocadura de rios, lagoas, canais e tubulações de esgotos e em locais proibidos pelas Legislações Estadual e Federal.

O IEF aplicou cerca de 21 mil reais em multas. O pescado apreendido foi doado para 11 instituições filantrópicas do município de Três Marias.

Piracema

O período da piracema é fundamental para a reposição das espécies que vivem nos rios, barragens e represas do Estado. Os peixes de piracema também são conhecidos como peixes migradores e chegam a nadar centenas de quilômetros em poucos dias.

A palavra piracema é de origem tupi e significa “subida do peixe”. Refere-se ao período em que os peixes buscam os locais mais adequados para desova e alimentação.

O fenômeno acontece todos os anos, coincidindo com o início do período das chuvas, entre os meses de novembro e fevereiro. Ao fim desta época, as lagoas existentes às margens dos rios perdem contato com o curso d’água e as ovas ficam detidas. Nesses locais, as chances de sobrevivência dos alevinos (filhotes) são maiores, pois as águas são ricas em alimentos. Com as novas chuvas, as lagoas voltam a se conectar ao rio.

Notícias relacionadas