O que o Big Brother Brasil 16 e a crise moral brasileira têm em comum?

O que o Big Brother Brasil 16 e a crise moral brasileira têm em comum?

Pode destorcer o nariz… Guarde suas pedras! Preciso, urgente, escrever sobre o Big Brother Brasil (BBB) 16 nesta semana e a minha vontade é que você, meu caro e fiel leitor, acompanhe esta coluna até o final e faça uma reflexão sobre o tema. Não vou falar aqui especificamente do que rola “na casa mais vigiada do país”, mas quero contextualizar uma personagem do programa, com a crise moral que nós, brasileiros, vivemos na atualidade.

Eu assisto BBB! Espero que aqueles que repudiam o programa, não me julguem por isto, mas se julgarem, sei que mereço a condenação. Porém, uma participante em especial tem chamado a atenção. Falo da “jornalista” por formação e não por prática, Ana Paula, de 34 anos, que não trabalha e vive à custa do dinheiro do pai. E o que ela tem a ver com a crise moral brasileira? Ela nada! Mas seus súditos aqui de fora, têm me preocupado muito.

Para quem não assiste, vou fazer um breve comentário sobre o gênio da moça. Ela pode até não ser assim fora do programa, mas lá dentro tem se mostrado uma pessoa arrogante, absoluta de si e que comete a todo tempo calúnia, difamação e injúria contra os demais participantes. Não aceita opiniões contrárias, busca manipular situações e acredita que a sua verdade é absoluta. Grita, ameaça, ofende, humilha e se julga melhor que os demais que ela não considera do seu grupo de aliados. Até aí, tudo bem, cada um é responsável por si e o que ela comete lá dentro e que prejudica os outros, responderá em ações judiciais aqui fora.

Mas o que me preocupa, não é a jogadora, e sim aqueles que a veneram aqui de fora. Que usam a todo o momento o seu jargão “OLHA ELA” e a consideram rainha e um exemplo a ser seguido. E sabe qual é o principal público da Ana Paula? Adolescentes. Isso mesmo! Temos uma juventude que considera uma mulher do alto de sua arrogância, a líder da sua tribo.

É claro que nem todos os adolescentes apoiam a BBB, mas nas redes sociais eles são a maioria dos que defendem os seus atos impensados e inconsequentes. E o que isso tem a ver com a crise moral que o país vive? A permanência dessa moça no programa, após oportunidades de ser eliminada, revela o retrato da nossa atual sociedade. Estamos perdendo a essência do que é aceitável e do que é absolutamente desprezível. Estamos perdendo a luta para o status social, para quem grita mais alto, para pessoas mimadas que não tiveram limites na infância e vivem como adultos inconsequentes e que querem, por bem ou por mal, que suas vontades sejam ouvidas e atendidas.

São esses mesmos jovens, que consideram esse perfil como líder, que vão às urnas em outubro deste ano. São esses mesmos jovens que um dia serão líderes em empresas, chefes de família, governantes de um povo que tem se calado vendo o errado progredir. E por que nos calamos? Por que tantas “Anas Paulas” ainda insistem em nos incomodar? Porque perdemos a vontade de debater, de argumentar, de sobrepor a arrogância com argumentos que de fato façam esse perfil aceitar que há diferenças e que elas precisam ser respeitadas.

Não que essa moça seja má, mas para essa situação não me vem frase mais adequada: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons” (Martin Luther King). A vida não se resume a um BBB, que é um recorte mal feito da realidade, mas analisar o ser humano enclausurado e ver suas reações às adversidades do dia a dia ajudam a entender como chegamos ao ponto de ter que engolir pessoas sem limites. Ver nossa juventude venerando essa moça, me faz pensar que nossos jovens estão sem opções de heróis!

Por Aline Rezende

Notícias relacionadas

8 Comentários

  1. Aline Rezende

    Oi Gabriel, boa noite!
    Entendi perfeitamente o seu ponto de vista, e você está certo, o errado não é de agora, infelizmente o que dizem, de que a corrupção corre nas veias do brasileiro, é quase confirmado diariamente.
    Agradeço a leitura e espero contar com a frequência de seus comentários!
    Abraços!

    Responder
  2. Gabriel

    Boa tarde,

    Estou lendo isto e pensando uma coisa sobre o que foi dito. Primeiro, não assisto sempre este programa, mas vi o fato da moça chamar um participante de pedófilo, achei uma ofensa, mas logo após a eliminação do mesmo, assisti uma entrevista com ele onde contou uma relação amorosa que achei ser uma afronta a família brasileira. Reprisaram o momento que ela o chamou de pedófilo, tudo começou porque ele dormiu de cueca, em um programa que a maioria das mulheres cultuam e expõe o corpo para se promoverem, mas ela diz o que até o Bolsonaro diria. Os dois estão errados ela e o que saiu do programa. Agora, quanto vc cita o momento dos jovens irem as urnas, não me assusta. Pois o eleitor já vem errando deste o passado então não são os jovens que são culpados, veja aqui em Araxá a situação dos votos, e o pior que as pessoas no lugar de ver os erros dos politicos daqui quer julgar em nivel nacional escondendo a sujeira daqui debaixo do tapete. Até mesmo que deveria levar a informação a este povo, mas não podem por estar atrelados a algum tipo de favor. As eleições são decididas apenas na época da eleição, pois maioria dos eleitores, decidem com um abraço do candidato na época da eleição, ou com um monte de mentiras faladas. O ser humano começa errando quando fura uma fila ou quando quer levar vantagem sobre os outros. Mas parabéns por sua coluna, espero que tenha entendido meu posicionamento e espero não ter faltado com respeito. Abraços.

    Responder
  3. Aline Rezende

    Oi Soraia!

    Primeiro quero agradecer por ler a coluna e, concordando ou não, dar sua opinião. Porém, preciso me “defender”. Como jornalista (formada) que sou, quando vou escrever sobre qualquer assunto, por mais fútil que ele pareça ser, como é o caso do BBB, eu procuro me informar para não opinar “sem estudar” como você comentou. A jogadora, que me refiro, cometeu sim os três crimes que eu cito na coluna:

    Qualquer ato que impute ofensa à honra e dignidade de outra pessoa, pode ser caracterizado como um crime de injúria ou calúnia. A jogadora acusou o Laércio de ser pedófilo e de usar de bebidas alcoólicas para atrair menores de idade. Nos dois casos ela o acusa de promover atitudes criminosas: pedofilia e o fato de oferecer bebida alcoólica à menores de idade mesmo que gratuitamente. Este último é crime desde o ano passado.

    No caso da difamação, que dependendo do xingamento, pode dar margem ao crime de injúria, Ana Paula também chamou Laércio de tarado. Mas não foi só ele que ela teria difamado, alguns jogadores com os quais ela teria aliança, Ana Paula chamou de traidor e fofoqueiro, portanto foram atos ofensivos à reputação.

    Sem contar que, nas inúmeras brigas com o jogador Renan, ela disse que o cabelo dele era feio, que os dentes eram falsos, inclusive chamou o “Brother” de lixo e merd*nha.

    Vamos então tipificar:

    Calúnia – Imputação falsa de um fato criminoso a alguém.
    Injúria – Qualquer ofensa à dignidade de alguém.
    Difamação – Imputação de ato ofensivo à reputação de alguém.

    Outro esclarecimento, não sou comentarista de BBB, sou colunista neste site e tenho a liberdade de tratar do assunto que for do meu interesse. Eu não escrevo, Soraia, preocupada em agradar ou desagradar alguém, estou aqui opinando e deixo livre os comentários, sejam eles críticos, elogiosos ou sugestivos. Eu sou responsável pelo que escrevo e não pelo que você entende.

    Eu não preciso pensar como você e também não espero (ou quero) que todos pensem igual a mim. Já disse Nelson Rodrigues: “Toda unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar.”, então fiquemos todos à vontade para opinar e discordar!

    Obrigada, mais uma vez!

    Responder
  4. Soraia

    Primeiro vá estudar a diferença entre os crimes de injúria difamação e calúnia que vc usa como sinonimo. Vergonha alheia. Bom se para falar de crimes falemos do crime de ameaça artigo 147, Código penal crime cometido pela participante Adélia em face de Ana paula. Prometer esfolar insuflar a violência e se dizer advogada e o cumulo. Pronto podemos parar de falar de cries assunto que vc não domina nem pesquisou para dar sua “opinião”. Filha tem uma coisa pior do que todos os defeitos dos Big Brother’s somados, comentaristas metidos a cult que querem traçar uma paralelo entre a socidade de valor e um programa telivisivo. Filhinha vai estudar que ta feio pra vc. IMPERTINENTES SUAS COLOCAÇÕES COM FALHAS GROSSEIRAS.

    Responder
  5. Anna

    Bravíssimo seu texto….

    Assistir a um programa que eleva a enlouquencia e a permanência de uma mulher que chama um colega de confinamento de pedófilo, de fedido, de porco, de velho nojento e ninguém faz nada, (se fosse o contrário, se fosse um homem fazendo aquela cena contra uma mulher, com certeza ele teria sido expulso) uma louca sem controle que xinga o tempo todo, que berra, que ofende, que debocha de tudo e de todos, e o pior uma mulher que se acha a mais do mais e mesmo assim continua voltando de muitos paredões, só nos faz ter duas idéias, ou quem vota nela é seguidor de uma vida sem essência e sem conserto ou assistimos a um programa onde tudo é combinado e como sempre nós somos os idiotas da vez dando audiência aquilo que está perdido.

    Responder

Deixe um comentário: